Directo 2ª etapa Volta a Portugal: Idanha – Guarda, 175 km

CLASSIFICAÇÕES
2ª Etapa: Idanha-a-Nova – Guarda, 175 km
1º Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), 5h00m07s
2º Mauro Santambrogio (Lampre-NGC), mt
3º Héctor Guerra (Liberty Seguros), a 1s
4º Danail Petrov (Madeinox-Boavitsa), mt
5º Damiano Cunego (Lampre-NGC), a 3s
6º David Bernabeu (Barbot-SIper), mt
7º Eladio Jiménez (CC Loulé-Louletano-Aquashow), mt
8º Hugo Sabido (LA-Paredes Rota dos Móveis), mt
9º Bruno Pires (Barbot-Siper), mt
10º Nuno Ribeiro (Liberty Seguros), mt

Geral Individual
1º Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio-Tavira),
2º Danilo Hondo (PSK Whirlpool-Author), a 12s
3º Héctor Guerra (Liberty Seguros), a 15s
4º Filipe Cardoso (Liberty Seguros), a 19s
5º Hugo Sabido (LA-Paredes Rota dos Móveis), mt
6º Mauro Santambrogio (Lampre-NGC), a 20s
7º Rubén Plaza (Liberty Seguros), mt
8º David Blanco (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 25s

Km 175: Cândido Barbosa vence a etapa e recupera a camisola amarela.

Km 173,5: Fuga anulada.

Km 173: O campeão checo e o último português a vencer a Volta lideram a etapa, mas o pelotão está perto.

André Cardoso reboca o pelotão em busca do duo da frente de corrida.

O Palmeiras Resort-Prio comanda a perseguição no pelotão.

Ribeiro e Martin Mares em cabeça de corrida. O camisola amarela, Manuel Cardoso, cai no pelotão.

Nuno Ribeiro (Liberty Seguros) ataca no pelotão. Com ele vai um homem da PSK Whirlpool-Author. Pelotão fragmentado na perseguição.

Km 172: Blanco já está no pelotão, mas vai ter de sofrer, porque agora a Liberty endureceu o ritmo. Hélder Oliveira quase a ser alcançado.

Km 171: Ainda fora dos três quilómetros finais há uma queda no pelotão, o que provcca o atraso a David Blanco. Com o galego para trás, aumentam as hipóteses de Hélder Oliveira, pois a perseguição no pelotão será menos tenaz pelo Palmeiras Resort-Prio.

Pelotão muito perto do trio intermédio.

Km 170: Hélder Oliveira e os três perseguidores dentro dos últimos 5 quilómetros.

Km 167: Situação de corrida. Hélder Oliveira isolado. Sérgio Sousa, Pedro Lopes e Damiano Caruso (LPR) na perseguição. Pelotão comandado pelos homens do Palmeiras Resort/Prio à frente do pelotão. Diferenças inferiores a um minuto entre a cabeça de corrida e o pelotão.

Km 163,7: 1ª passagem na meta e montanha de 3ª. Ordem de passagem:1º Hélder Oliveira – novo líder da montanha – , 2º Pedro Lopes, 3º Sérgio Sousa. Pelotão a 34 segundos. No pelotão puxa o Palmeiras Resort-Prio.

Na aproximação à primeira passagem na meta, Hélder Oliveira está sozinho em cabeça de corrida, sendo perseguido por Sérgio Sousa e Pedro Lopes.

Km 163: Oliveira e Sousa já são cabeça de corrida. No pelotão tenta sair Oleg Chuzhda na tentativa de defender a liderança da montanha.

Km 162: Pedro Lopes soznho em cabeça de corrida. pelotão a menos de meio minuto. No pelotão ataca Hélder Oliveira (Barbot-Siper), que se junta a Sérgio Sousa na perseguição a Pedro Lopes.

Km 161: No pelotão atacam Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista) e Juan Mouron (Xacobeo Galicia). O português deixa para trás o espanhol e vai sozinho no encalço de Lopes e Teruel. No pelotão persegue a equipa tavirense.

Km 160: 1m00s, quando se começa a subida para a primeira passagem na meta.

Com a aproximação rápida aos fugitivos, aparecem na cabeça do pelotão muitos corredores de diferentes equipas. Não seria de estranhar se houvesse ataques a partir do pelotão, dificultando a tarefa de quem quiser controlar a corrida. A acontecer, será o preço a pagar por uma aproximação demasiado rápida aos fugitivos.

Km 157: O fim de fuga está cada vez mais próximo. 1m20s entre escapados e pelotão.

O pelotão está a ser levado pela Madeinox-Boavista e pela Barbot-Siper há dezenas de quilómetros.

Km 155: 1m44s entre os fugitivos e o pelotão. Ainda é possível que Teruel e Pedro Lopes consigam receber os aplausos do público na primeira passagem pela meta. Mas parece cada vez mais improvável que a fuga permita discutir a vitória de etapa.

A 25 quilómetros da chegada, a diferença é de 1m58s. Tudo em aberto, mas o pelotão tem tudo para, se quiser, alcançar os fugitivos.

Km 148: 2m0ss entre o pelotão e os fugitivos.

Km 146,9: Meta Volante do Carvalhal. Ordem de passagem: 1º Pedro Lopes, 2º Eloy Teruel. Terceiro e primeiro do pelotão é Hugo Sabido, que fez terceiro nas três metas volantes do dia, somando 3 segundos de bonificação.

Km 144: a 31 quilómetros da chegada, a vantagem dos fugitivos é já de apenas 2m52s.

A manter-se o ritmo de recuperação do pelotão, o duo de fugitivos não terá hipóteses de chegar na frente à Guarda.

Km 141: Sempre a cair a diferença graças ao esforço da Barbot-Siper e da Madeinox-Boavista, as únicas equipas, no pelotão, que estão a revelar ambição: 3m46s.

Km 139: Pelotão a 4m49s dos fugitivos.

A Barbot-Siper ajuda a Madeinox-Boavista na perseguição.

Km 135: 5m32s entre o pelotão e Eloy Teruel e Pedro Lopes. Faltam 40 quilómetros para a chegada.

Km 132: Os fugitivos estão a 43 quilómetros do final e têm o pelotão a 6m56s.

Km 128,7. Meta Volante de Pinhel. Ordem de passagem: 1º Pedro Lopes, 2º Eloy Teruel. Pelotão ainda há-de lá chegar. Na aproximação do pelotão à meta volante, trabalha na frente a LA-Paredes Rota dos Móveis, provavelmente para lançar Hugo Sabido para mais um segundo de bonificação. Hugo Sabido foi mesmo o terceiro a passar, batendo Tiago Machado (Madeinox-Boavista) ao sprint.

Km 127: A um quilómetro da meta volante de Pinhel, continua a baixar a vantagem dos fugitivos: 7m30s.

Km 122: Os boavisteiros estão a reduzir a diferença com o esforço na frente do pelotão. 8m27s

Km 118: A Madeinox-Boavista assumiu a perseguição no pelotão e a diferença caiu para 9m20s. Está tudo em aberto, mas não será fácil alcançar os fugitivos antes da meta. Também não sabemos que se alguém quererá uma chegada em pelotão, que, em teoria, só beneficiaria um homem, Cândido Barbosa (Palmeiras Resort-Prio).

Km 110: A diferença é de 10m26s. No pelotão há uma queda. Celestino Pinho (LA-Paredes Rota dos Móveis) e Ruben Reig (Contentpolis-Ampo) foram ao chão. O luso depressa se levantou e seguiu viagem. O homem da equipa espanhola ficou parado para mudar a roda traseira.

Km 105: Os fugitivos levam uma média de 35 km/h. O pelotão consegue o feito de andar muito mais devagar, vem rolando a pouco mais de 32 km/h. Médias de cicloturistas bem treinados.

Km 100: Na cabeça do pelotão está sempre sozinho Carlos Nozal (Liberty Seguros). Praticamente todas as equipas têm um elemento atrás do espanhol, mas nunca dão relevo.

98: 10m58s.

Km 95: A vantagem do duo da frente cresce para mais de 11 minutos: 11m03s.

Km 89: Diferença cifra-se em 10m35s. Se ninguém assumir a perseguição, a dupla pode ficar hoje com uma renda importante para gerir no futuro.

Km 88: Hoje não é dia para Manuel Cardoso (Liberty Seguros). Pelo menos, o camisola amarela não está a preservar-se no pelotão. Foi agora ao carro buscar abastecimento para os companheiros de equipa.

Km 87: A diferença volta a subir, porque no pelotão há um efectivo trabalho de perseguição: 10m20s. Bom entendimento de Eloy Teruel e Pedro Lopes.

Km 73: A diferença cai ligeiramente, mas ainda é superior a 9m30s. No pelotão, não há perseguição organizada. A Liberty trabalha apenas com um homem.

Km 71,2: Meta Volante Sabugal. Ordem de passagem: 1º Pedro Lopes, 2º Eloy Teruel, 3º Hugo Sabido (LA-Paredes Rota dos Móveis). Sabido revela-se ambicioso e consegue um segundo de bonificação.

Km 65: Continua tudo na mesma. Lopes e Teruel na frente e a diferença sempre a subir: 10m45s. Depois do desaire de ontem, não é crível que a LPR pegue de novo na corrida. Falta saber quem estará disponível para esse desgaste.

Km 52: No pelotão persiste o “deixa andar”. A dupla de fugitivos continua a somar vantagem: 8m26s.

Km 43: Dá-se a junção na cabeça de corrida. Pedro Lopes e Eloy Teruel seguem na dianteira com mais de 5 minutos de vantagem sobre o pelotão. No grande grupo, à semelhança do que sucedeu ontem, ninguém assume a perseguição na primeira metade da etapa.

Km 40: Pedro Lopes a apenas 23 segundos de Teruel. Junção à vista. Pelotão a 4m55s da cabeça de corrida.

Km 38,5: Cumprida a primeiro hora de corrida.

Km 34: Mais um homem da equipa de Loulé que tenta a sua sorte. Desta vez é Pedro Lopes que sai do pelotão em busca de Eloy Terue.

Km 30. Teruel continua com o seu esforço solitário. Pelotão a 1m30s.

Entretanto aconteceram as duas primeiras desistências da edição deste ano da Volta: Dionisio Galpasoro (Contentpolis-Ampo) e David Herrero (Xacobeo Galicia).

Km 25: Pablo de Pedro foi absorvido pelo pelotão que se aproxima de Teruel. A diferença é de 56 segundos. A corrida começa a estabilizar, dado que o pelotão chegou a partir por volta do quilómetro 8. Na frente ficou um grupo de 36 unidades, obrigando o Palmeiras Resort-Prio-Tavira a aplicar-se para juntar esses dois blocos.

Km 24: Pablo de Pedro (CC Loulé-Louletano-Aquashow) ataca no pelotão e tenta “encostar-se” ao compatriota.

Km 22: O fugitivo já tem mais de minuto e meio de vantagem.

Km 16: Depois de várias tentativas frustradas de diferentes corredores para saltarem do pelotão, Eloy Teruel (Contentpolis-Ampo) consegue sair do grande grupo.

Km 4: Pelotão compacto.

Km 0: Foi dada a partida real. Nos primeiros metros dá-se o ataque de Dionisio Galpasoro (Contentpolis-Ampo), que é prontamente respondido pelo pelotão. Tudo junto.

Km 0: Alinharam os 123 corredores que ontem concluíram a etapa. Apesar de limitado por um acidente na etapa de ontem – embateu no carro de apoio e caiu -, Ricardo Mestre (Palmeiras Resort-Prio-Tavira) está na estrada pronto para mais uma etapa.

Altitude/Local/Km percorridos/Km a percorrer/Hora
230 Partida: Av. Joaquim Morão 0 175 12h35
752 Meta Volante: Sabugal 71,2 103,8 14h34
636 Meta Volante: Pinhel – Rua 1º Maio 128,2 46,8 16h02
763 Meta Volante: Carvalhal 146,9 28,1 16h31
815 Guarda: Início subida 160 15 16h51
1004 1ª passagem Meta / PM 3ª Cat. 163,7 11,3 16h56
815 Guarda: Início subida 171,3 3,7 17h08
1004 Meta e PM 3ª Cat: Av. Dr. Afonso COsta 175 0 17h14

13 Comments

Comments are closed.

  1. é isso. :D Tens que ir lá ensinar… que eles são burros.

  2. deixa la ainda tenhem k aprender mais um bocado de ciclismo pra perceberem certas coisas

  3. Que equipas chamas tu de burras?

    Quando queres ganhar uma etapa… vocês percebem mesmo de ciclismo. :) As equipas pequenas é que tem que dar ás pernas se querem ganhar… liberty e Tavira… estão de folga até Domingo! :)

  4. sera k percebes alguma coisa de ciclismo?

  5. André Bessa

    Aqui há equipas mesmo burras ou são amigas da Liberty…. Andam a puxar que nem loucos e nem a amarela cheiram. E a Liberty a mamar e se for preciso ganha e descansa para as próximas etapas….

  6. a minha aposta para hoje: Bruno ‘Chaparro’ Pires.

  7. Tiago Machado – Guarda as pernas para Domingo Ganhar, porque vou estar lá para festejar!!

  8. Força Tavira!!!

  9. brinquem, brinquem, que hoje os italianos não vão mexer uma palha.

  10. Alguen sabe dicer o que aconteceu co David Herrero para que desistise?

  11. Pedro Rodrigues

    Que saudades da Volta a Portugal de outros tempos, de quando se subia a Torre a partir da Covilhã, das longas etapas ao calor alentejano e algarvio, das subidas à Serra de Sintra e dos finais de Volta na Avenida da Liberdade ou em Belém. Quem não se lembra de um caricato episódio, em que um distraído agente de autoridade ia mandando os ciclistas para a Ponte 25 de Abril? A edição deste ano promete muita emoção e, tal como no ano passado, prevejo que apenas no último dia se encontre o vencedor. A menos que a montanha faça grande diferenças, o que não tem acontecido nos últimos anos. Termino com uma sugestão… seria um espectáculo ver um contra-relógio individual entre a Covilhã e as Penhas da Saúde.

  12. Força Boavista! Vamos lá pedalar!