Quatro por cento dos prémios ProTour para luta anti-dopagem

A Associação Internacional de Ciclistas Profissionais (CPA) manifestou-se contra a deliberação do Conselho de Ciclismo ProTour que determinou a manutenção do valor de quatro por cento dos prémios das competições ProTour a destinar ao financiamento do programa anti-dopagem da União Ciclista Internacional. O contributo directo dos corredores ProTour no financiamento do programa da respectiva federação internacional foi alvo de contestação pelos representantes da CPA, que pretendiam diminuir este valor para dois por cento, o mesmo contributo retirado do bolo de prémios das competições inscritas nos calendários continentais. A determinação da UCI foi hoje publicitada pela CPA que se manifestou ainda o apoio à criação de um plantel mínimo de 25 corredores para as equipas ProTour e marcou ainda uma conferência destinada a debater o futuro da carreira profissional de ciclista, a ter lugar em Barcelona, nos próximos dias 18 e 19 de Dezembro. A CPA é dirigida pelo ex-profissional francês Cédric Vasseur, tendo Paulo Couto, presidente da Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais (APCP), o seu vice-presidente.