Dança de marcas no pelotão ProTour 2009

O interesse crescente das marcas de bicicletas pelo fornecimento de material às grandes equipas internacionais foi notório na mudança operada por algumas das principais formações no último trimestre do ano. A par com as grandes feiras outonais de material velocipédico, a comunicação das marcas tem já em conta a parceria a estabelecer em 2009, numa leitura que não esconde o objectivo: as máquinas do “pros” são as mais cobiçadas e não estar presente no pelotão – no pelotão ProTour, o único que interessa às marcas verdadeiramente globais – é meio caminho andado para uma reduzida visibilidade junto de potenciais compradores. As principais “transferências” do pelotão principal dizem respeito à CSC-Saxo Bank, à Rabobank, à Milram e à Team Columbia. A Saxo Bank deixa as Cervélo – constituiu uma equipa de marca, tendo Carlos Sastre como referência – pela Specialized. A Rabobank termina a ligação de vários anos à Colnago, marca que perde também lugar na Milram, substituída pela marca germânica Focus. Já a Columbia deixa cair a Giant, passando a equipar-se com Scott. A Giant manteve o lugar no pelotão ao associar-se à Rabobank. Por sua vez, Cadel Evans na Silence-Lotto deixa a Ridley para montar, em 2009, numa Canyon. O regressado Lance Armstrong equipar-se-á numa Trek, desta feita equipada com SRAM, ao invés do Dura-Ace da Shimano que o acompanhou nas sete vitórias na Volta a França.

Equipas ProTour e Marcas

[TABLE=6]