Riccò recorre para o TAD

Ricardo Riccò, suspenso por dois anos na sequência de um controlo anti-dopagem positivo (CERA) na última Volta da França, apelou para o Tribunal Arbitral do Desporto. Segundo a AFP, Riccò contesta o facto do Comité Olímpico Italiano (CONI), que o ouviu a dois de Outubro, não ter em conta as circunstâncias atenuantes resultantes da sua confissão e a colaboração demonstrada com as instâncias disciplinares. O corredor italiano reclama uma redução da sua suspensão. O TAD, em conformidade com as suas próprias regras, tem quatro meses para deliberar o caso. Riccò foi suspenso pelo CONI até 30 de Julho de 2010 num castigo repartido entre 18 meses pelo controlo positivo e de seis meses suplementares pelo contacto efectuado com Carlo Santuccione, suspeito de práticas dopantes no inquérito “Oil for drugs”. Riccò, 24 anos, foi controlado positivo a 8 de Julho.