A juventude é a essência da vida

A juventude é a essência da vida. Sem a sua irrequietude, o seu apego pela vida, a sua irreverência, o seu gosto pela aventura e sem se cometerem erros, não se é jovem.

É mais fácil um jovem cometer um erro, grande parte das vezes irrefletido, fruto exatamente da sua vontade de fazer melhor, do que um adulto experimentado, cujos atos normalmente são mais pensados, ponderados, calculados. Uns e outros complementam-se, talvez por isso haja equilíbrio na sociedade.

Ontem na chegada a Águeda, primeira etapa da Volta do Futuro, houve uma queda feia, que ninguém gostou de ver. O ciclismo é pródigo neste tipo de situações. Propositada ? Pensamos que não, até pelos riscos que todos os envolvidos estão sujeitos. Emoção a mais ? Pressão a mais ?Talvez uma destas duas situações tenha acontecido.

Nesta situação, as atitudes devem ser punidas, de acordo com os regulamentos e com a gravidade que acarretam, em especial para os outros ciclistas. O mais grave nestes casos, é quando o infrator não reconhece o erro, nem tem a humildade de o reconhecer, esse já não é um jovem , o que não foi o caso ontem. Talvez por isso, o maior castigo que o Fábio Costa poderá ter tido foi a assunção do erro cometido, e ter tido a humildade suficiente para pedir desculpa aos seus colegas vitimas da queda. Quando assim se procede, já se é jovem, já se pode pensar no futuro, com a garantia de que, em cada dia que passa, nos tornamos mais cidadãos e mais fortes.

José Santos