Van der Poel : para ser-se campeão é preciso sorte

Mathieu van der Poel venceu o campeonato mundial de ciclocross de 2021 em Ostend.
Foto: News.

Já lá diz o ditado que, para se ser campeão é preciso, TAMBÉM, uma pequena dose de sorte, predicado que que assenta bem, no título mundial de ciclocrosse ,hoje conquistado por Van der Poel . E se o holandês foi bafejado pela sorte, o azar foi madrasto para Van der Aert , que furando quando seguia na frente da corrida, perdeu tempo e nunca mais recuperou.

Foto: Belga

Com o mar como pano de fundo, na zona decisiva da corrida, Van Aert mostrou nas primeiras voltas ser mais potente que o seu adversário, levando vantagem e levando o holandês a cometer erros, na tentativa de o seguir. Van der Poel caiu, o que em ciclocrosse pode não ser considerado um azar, mas um problema técnico e seguia na frente da corrida, quando um furo na sua roda da frente, acabou por estragar o espetáculo.

Com dois ciclistas praticamente com o mesmo potencial, um azar ou um erro são fundamentais e fazem a diferença, para o bem e para o mal. Nestas circunstancias soma-se o poder psicológico, a motivação, positivas para o ciclista da Alpecin e negativas para o homem da Jumbo- Visma, que não teve força anímica para superar o percalço sofrido. Van der Poel mostrou que foi o mais forte, aumentando a sua vantagem, em relação ao belga que pedalava sem convicção , porque nisto de ciclismo, é preciso saber reagir, coisa que o belga não foi capaz de conseguir.

Cá atrás, um pelotão belga digladiava-se para obter o último lugar do pódio , que Pidcock quase ia estragando, Ton Aerts ainda conseguiu o terceiro lugar, depois de uma grande recuperação do ciclista que amanhã, será mais um elemento da Ineos.

O que ficou para a história, para além do título mundial de Van der Poel, é um pormenor deveras importante e que pode, de alguma forma, condicionar, o futuro desportivo dos dois primeiros classificados deste Mundial: sem descanso, correndo praticamente todo o ano, até quando os seus motores aguentarão ?

Classificação:

1Mathieu van der Poel (Netherlands)0:58:57
2Wout van Aert (Belgium)0:00:37
3Toon Aerts (Belgium)0:01:24
4Thomas Pidcock (Great Britain)0:01:37
5Laurens Sweeck (Belgium)0:02:05
6Michael Vanthourenhout (Belgium)0:02:14
7Eli Iserbyt (Belgium)0:02:18
8Quinten Hermans (Belgium)0:02:23
9Lars van der Haar (Netherlands)0:02:41
10Joris Nieuwenhuis (Netherlands)0:03:15
11Corne van Kessel (Netherlands)0:04:09
12Gianni Vermeersch (Belgium)0:04:21
13Kevin Kuhn (Switzerland)0:04:29
14Daan Soete (Belgium)0:04:57
15Yan Gras (France)0:05:11
16Joshua Dubau (France)0:05:28
17Tim Merlier (Belgium)0:05:34
18Zdenek Stybar (Czech Republic)0:05:42
19Timon Ruegg (Switzerland)0:05:50
20Curtis White (United States Of America)0:06:33