Gilbert quer ganhar o Milão-S.Remo e fazer história

Sofreu no Tour de França na época passa de 2020 uma forte lesão, e agora Philippe Gilbert da Lotto Soudal, interroga-se sobre a sua forma física, para começar a nova temporada de 2021. O belga recomeça agora do zero após a lesão no joelho feita na queda na primeira etapa em Nice, apesar de ainda ter voltado a correr até ao final de 2020.

Gilbert tem lutado durante o inverno para recuperar ao máximo a sua forma física, com a rótula fraturada, na queda que sofreu em França, o que lhe limita os seus treinos intensivos, mas o veterano ciclista tem esperança que após correr em fevereiro e no inicio de março, tenha forças para fazer quilómetros e criar velocidade necessária, para ficar em forma, não tendo a certeza se poderá atingir a mesma para as Clássicos da Primavera, ou se poderá participar no Paris-Roubaix.

Philippe Gilbert quer agora correr, e ver o desempenho do seu joelho, afirmando que Roubaix, nesta fase, não é o mais importante, ficando para segundo plano a sua análise, focando-se apenas no regresso à competição e tirar conclusões.

De relembrar que Philippe Gilbert já sofreu duas fraturas de rótula na sua carreira, uma em 2018 no Tour de França, e agora em 2020, esta última mais grave que a primeira, o que limitou sem dúvida muito mais o seu trabalho durante o período de defeso.

Pedalando com alguma dificuldade, o ciclista belga não esperava enfrentar tantos problemas, não só ao nível do joelho, mas também com diminuição da massa muscular da perna afetada, que tem condicionado a sua preparação, e só após três semanas de preparação intensa poderá tirar as suas conclusões.

São muitas as incertezas mas a época de 2021 para Gilbert, cuja primeira prova está prevista ser o Grande Prémio de Marselha em finais de janeiro, seguindo-se Etoile de Bessèges – Tour du Gard, Grand Prix Cycliste la Marseillaise, Omloop Het Nieuwsblad e Paris-Nice, levando-o depois até às Clássicas da Primavera, faltando-lhe apenas o triunfo no Milão -S. Remo para completar um ciclo vitorioso que passou pelo Tour de Flandres, Paris-Roubaix, Liege-Bastogne-Liege e Lombardia. Gilbert sabe que vencendo a clássica italiana entrará para um número restrito de ciclistas que conseguiu vencer estas cinco grandes provas do ciclismo mundial.

José Morais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *