Programa de Sagan ambicioso

Peter Sagan espera vir a ter muitas vitórias, prevendo o seu regresso às clássicas, além de participar quer no Giro de Itália quer no Tour de França, numa temporada plena de provas, onde os Jogos Olímpicos e o Campeonato Mundial ocupam um lugar de destaque.

BORA-hansgrohe Cycling Team | Wahoo Fitness EU
Sagan quer lutar por mais um título mundial.

A agenda para este ano de Sagan é muito idêntica à de 2020, antes de surgir a pandemia, onde deitou tudo a perder, optando por cumprir a sua promessa de participar no Giro, o que deu origem a perder as grandes clássicas da primavera, que passaram para o outono.

O diretor da Bora, Jan Valach , desvendou os planos para o tricampeão mundial para este ano, começando pelas clássicas da primavera, seguido do Giro, o Tour de França, as Olimpíadas, e Mundiais .

Ainda não está bem definido onde Sagan fará a sua primeira aparição este ano, depois de ter de alterar a sua estreia prevista para o Tour de S.Juan, prova que foi anulada este ano. Pouco habitual nas provas de início de época na Europa, não tem participado no fim de semana de abertura das clássica da Bélgica desde 2017, pode, contudo, participar no Strade Bianche a realizar no início de março, antes de participar no Tirreno-Adriático, afim de se preparar para os principais clássicos – Milan-San Remo a realizar a 20 de março, e logo depois os tradicionais paralelepípedos do Paris-Roubaix marcado para 11 de abril.

A escolha que ele fizer diz Jan Valach, terá de ser programada muito cuidadosamente a sua preparação, já que o Giro está marcado para se iniciar a 8 de maio, pouco menos de quatro semanas depois, tem o Tour de França pela frente, e seguido de menos uma semana após terminar o Tour, em Tóquio num traçado montanhoso, terá a corrida olímpica.

Sagan é o tipo de ciclista preparado que pode suportar muita pressão, não se cansa, e com o avolumar da competição fica mais forte, afirmou Valach que não mostrou preocupação com os requisitos obrigatórios da quarentena para os Jogos de Tóquio. Se lhe sobrarem forças, Sagan irá redefinir e definir os seus objetivos para a sua quarta camisola arco-íris, a 26 de setembro em Flandres no Mundial.

A equipa deve este ano concentrar-se nas clássicas do norte e focar-se nas ambições de Sagan nos próximos dois anos.

” Peter Sagan ainda possui um alto desempenho, e analisando a experiência que tem, pode ser bem-sucedido quem sabe até à casa dos 40 anos. Este são os seus principais objetivos nas próximas épocas, estamos a trabalhar em força, e com grande ansiedade para veros seus resultados.Temos de relembrar o longo período que passou em 2020, ao perder a classificvação por pontos tanto no Tour como no Giro, acabando por descartar qualquer indício de declínio da sua carreira, com uma cintilante vitória numa etapa do Giro sozinho. ” análise do diretor desportivo da Bora.

Atualmente Peter Sagan está a treinar com a sua equipa a Bora-Hangrohe no Lago Garda, seguirá depois para as Ilhas Canárias, onde irá continuar o seu treino de preparação, para depois de fazer em força à estrada .

José Morais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *