Cofidis com equipa feminina em 2022

Por: José Morais

Thierry Vittu, presidente da equipa da Cofidis, anunciou na apresentação das equipas masculinas e de paraciclismo para 2021, a preparação de uma equipa feminina para ser lançada em 2022

O presidente Thierry Vittu afirma que tem o hábito de dizer que uma equipa desportiva terá de ser uma representação da equipa Cofidis, já tanto a equipa profissional, como a de paraciclismo, se refletem em parte do que é a empresa, já que é um grupo com 5500 pessoas, na sua maioria mulheres, o que faz falta e sentido é lançar, agora, uma equipa feminina.

Com este lançamento, a Cofidis tornar-se-á na oitava equipa masculina do World Tour, a possuir também uma equipa feminina, seguindo os passos de outras como, Movistar, Trek-Segafredo, Jumbo-Visma e Lotto Soudal, DSM, BikeExchange, ou da Groupama-FDJ, que compartilha recursos com a FDJ Nouvelle-Aquitaine Futuroscope.

Para o presidente da Cofidis, a equipa no passado ano de 2020 teve uma temporada de estreia decepcionante, no World Tour, não conseguindo vencer uma única prova, apenas Attilio Viviani venceu uma etapa do La Tropicale Amissa Bongo em janeiro, e Anthony Perez uma etapa do Tour des Alpes Maritimes et du Var em fevereiro.

Após a retomada da temporada em agosto, depois de um interregno motivado pela pandemia, existiu alguns sinais de encorajamento, apenas o recém-chegado Guillaume Martin, conseguiu um terceiro lugar na geral do Critérium du Dauphiné, rolou ainda de forma impressionante no Tour de França com um 11º lugar na geral.

Também ouve sinais encorajadores. Guillaume Martin teve um papel fundamental ao ajudar Julian Alaphilippe a vencer o Campeonato Mundial, sagrando-se rei da montanha na Volta a Espanha, apesar de ainda não levantar os braços para a vitória com a Cofidis, existe um objetivo e um trabalho coletivo, e aí sim a equipa levantará os braços nesta época, objetivo principal de Martin.

A outra grande contratação da equipa , Elia Viviani, apesar de ter tido uma temporada de estreia decepcionante na Cofidis, depois de ter falhado em todos os pontos, o velocista italiano está disposto a melhorar em 2021, citando Milan-San Remo como um dos seus objetivos iniciais, apesar de 2020 ter sido sem dúvida um ano muito estranho, não é motivo de desculpa, já que muitos ciclistas ganharam muitas corridas, afirmou Viviani.

Foi sem dúvida muito estranho, muito estranho mesmo para mim, ter esta sensação de não ter conseguido ganhar corridas, falamos muito sobre a temporada, e fizemos muito bem, e o que fizemos de errado em 2020, agora é tempo de usar toda essa experiência, para que na próxima temporada possamos vencer.”- as palavras de esperança de Viviani.

Uma coisa é certa, em 2022 a Cofidis irá ter uma equipa de ciclismo feminino, os passos estão dados, não será este ano pelos motivos de que todos conhecemos, e terá de existir ainda tempo para preparar e reunir os recursos, formando assim a equipa, com a certeza de no próximo ano vermos na estrada a formação feminina da Cofidis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *