Ciclocrosse na máxima intensidade

Créditos: Photo News

Apesar da ausência de público, as provas de ciclocrosse estão a ter este ano um inusitado interesse desportivo, em grande parte devido à participação de Van der Poel e Van der Aert, que vieram empestar um nível competitivo muito superior.

As provas estão a ter um maior incremento competitivo, devido ao aparecimento de novos valores, entre eles o britânico Tom Piddock e o belga Eli Iserbyt e com os crónicos Michael Vanthourenhout e Toon Aerts a alimentarem o ritmo competitivo.  Isto é, o leque de potenciais vencedores de uma prova aumentou e com isso, o ciclocrosse tem lucrado em termos de audiências televisivas, naturalmente na Bélgica e Holanda.

Em Namur, na prova para a taça do Mundo disputada ontem, a grande estrela foi o britânico Piddock que conseguiu obrigar a um entendimento entre Poel e Van Aert para anularem a sua tentativa de escapada. O britânico gosta de andar na frente da corrida” desde júnior que gosto de rolar sempre na frente “, abrindo caminho e obrigando a ter de perseguir e a levar a corrida sempre na máxima intensidade.

Van der Poel foi o vencedor, seguido por Van Aert e Piddock , mas para que o holandês cortasse a linha em primeiro, foi fundamental o apoio inesperado do rival Van Aert, que se lamentaria no final por ter sido tão generoso e não ter aproveitado mais a roda de Van der Poel.

Van der Poel, Pidcock e Van Aert.
Van der Poel, Piddock e Van Aert estão a empolgar a época de ciclocrosse.

Entretanto a Taça do Mundo prossegue no próximo domingo, com a participação assegurada do britânico Tom Pidcock, o campeão europeu Eli Iserbyt, o líder da Taça do Mundo Michael Vanthourenhout, o campeão belga Laurens Sweeck e Toon Aerts, entre outros, foram anunciados anteriormente para a primeira que estarão em Dendermonde, conjuntamente com os cabeças de cartaz Wout van Aert e Mathieu van der Poel.

Créditos fotográficos : Photo News.