Protesto dos ciclistas à Partida da etapa de hoje

Agora também no protesto do piloto da Vuelta: Chris Froome faz uma pausa no início, pelotão segue o exemplo ... exceto para um piloto

Na semana passada, a 19ª etapa do Giro foi dominada pelo protesto de Adam Hansen, nhoje os protestos dos ciclistas voltaram, desta feita na Vuelta. O pelotão parou na largada em Villaviciosa. Motivo: o ‘bónus’ de três segundos que Primoz Roglic recebeu do júri ontem, que fez o esloveno assumir a camisola vermelha de Richard Carapaz.

Roglic ganhou 10 segundos de bonificação pela vitória de etapa, o júri julgou depois que Carapaz e um grupo de outros ciclistas haviam cruzado a linha de chegada 3 segundos depois de Roglic. Essa diferença em tempo real serviu para a classificação geral, de forma que o equatoriano perdeu por pouco a camisa do líder.

A organização havia categorizado anteriormente o final desta etapa dez como um sprint em grupo, de modo que as diferenças em tempo real não pudessem ser usadas e a diferença de 3 segundos na linha não deveria, portanto, ter sido levada em conta, o que só aconteceu após a intervenção de um comissário da UCI . O fato é que o júri não deveria ter alterado a informação da organização, sobre o perfil da etapa no seu final. A haver alteração, esta deveria ter sido comunicado à partida e nunca considerada após o final da mesma, sem conhecimento prévio dos ciclistas e equipas. Esta alteração demonstrou alguma fragilidade do júri. De referir que o protesto foi aprovado pela associação de ciclistas profissionais(CPA).