João Almeida e Remco as estrelas da nova Deceuninck ?

João Almeida estava destinado a tornar-se um équipier de luxo de Remco Evenepoel na Deceuninck-Quick-Step. Mas depois de Remco ter tido de renunciar ao Giro, o nosso compatriota assumiu um papel de liderança, na equipa, que irá alterar o xadrêz da equipa belga. “Se o João evoluir desta forma , não terá que seguir o programa de Remco”, afirmou o patrão da equipa, Patrick Lefevere.

Há alguns anos que acompanhamos o João Almeida”, contou o dirigente da Deceuninck-Quick-Step. “Nos últimos dois anos, evoluiu na equipa de Axel Merckx (Hagens Berman Axeon, ed.).Saiu-se muito bem em 2018, mas foi decepcionante no ano passado. ”

Poderíamos ter esperado mais um ano, mas o seu empresário – ele tem até dois – pensou de forma diferente. Também não queríamos avaliar o seu valor tendo por comparação o ano de 2018, em que não esteve bem e foi então que decidimos fazer contrato de dois anos . “

Isto disse Lefevere no final da Volta ao Algarve. Veio depois a sua nomeação para o Giro, ao lado de Remco, em maio, mas a prova italiana viria a ser adiada para as atuais datas. Com Remco lesionado, João Almeida não perdeu a oportunidade de chegar à liderança , constatadas que são as poucas chances da equipa nas grandes provas por etapas. Na verdade, a Deceuninck foi sempre uma equipa talhada para as provas de um dia. Com Remco e agora, vendo bem as capacidades de João Almeida, a Deceuninck poderá, no futuro, virar a agulha e discutir os primeiros lugares das grandes provas por etapas.

Depois de terminar em segundo na classificação da juventude no Algarve, João Almeida voltou a fazê-lo em plena época Covid em Burgos (sempre depois de Evenepoel) e foi o melhor jovem do Tour de l’Ain. E na ausência de Evenepoel, Almeida que completou 22 anos em agosto , aproveitou a chance no Giro, sendo até agora o ciclista mais jovem em 41 anos a conseguir andar de rosa por cinco dias.

A grande questão no seio da Deceuninck é saber se João Almeida não será bom demais, para ser a sombra de Remco Evenepoel, a pérola belga e a grande esperança de toda uma nação, que procura há décadas um sucessor de Eddy Merckx. Por isso, Lefevere vai ter que avaliar bem o futuro. “Não sabemos qual é o seu potencial final“, afirmou o patrão da equipa, que continuou . “ainda não conhecemos suas ambições pessoais. Ele estava no grupo do Remco, mas não é imperativo que lá continue . Se ele continuar a evoluir desta forma , seguirá o seu caminho.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *