João Almeida vive um sonho

João Almeida, enésima coroa de ouro de Patrick Lefevere

Completou 22 anos em agosto, e é uma das pérolas do ciclismo internacional, integrando uma geração de ciclistas, que poderemos considerar, numa escala hierárquica cronológica, de adolescentes, e onde se integram alguns dos nomes mais famosos do atual panorama internacional, como Pogacar, Evenepoel, Ven der Poel, Van der Aert e, agora João Almeida.

Oriundo da equipa de Axel Merckx nos últimos dois anos , e depois de um início de temporada no Tour Down Under, João Almeida teve de se adaptar à filosofia da equipa belga, onde segundo Patrick Lefevere foi preciso modificar a sua maneira de correr “Depois do Tour Down Under, tivemos que retocar tudo, corria muito por conta própria e isso não se encaixa na nossa filosofia.”

Almeida entendeu rapidamente a lição, impressionando o seu trabalho em prol de Evenepoel no Algarve, tarefa que cumpriu da mesma forma no Tour de Burgos e no Tour de l’Ain. . “Ainda não consigo acreditar e não consigo descrever a minha alegria”, afirmou após a cerimónia do pódio. “É como um sonho que se tornou realidade. ”

João Almeida teve que lutar para conseguir a camisola rosa, em especial depois de saber que Thomas estava atrasado devido a queda e Simon Yates também estava para trás. “Achei que estava a trepar muito rápido. Não queria errar. Nos últimos quatro quilómetros, com o forte vento contrário e as acelerações que vinham, tentei defender sem ir ao choque Foi uma etapa estranha. “

Agora que está de rosa, quer ficar mantar a liderança port algumas etapas. “O mais possível e se puder adicionar uma vitória de etapa a tudo isto, o Giro será um grande sucesso. Depois da queda da Remco, muita coisa mudou para nós. Normalmente era o nosso homem da geral e tinha que trabalhar para ele. Mas não desistimos. Viemos aqui como um Wolfpack com o objetivo de ganhar corridas e aguentar o máximo possível nas montanhas. ”