Ano desastroso para a Ineos

O favorito Geraint Thomas deixa o Giro com uma fratura pélvica e está muito desapontado: "Eu estava talvez em melhor forma do que quando ganhei o Tour"

O ano de 2020 foi madrasto para a Ineos. Depois do desastre de Bernal no Tour, agora no Giro o favorito Geraint Thomas abandona a prova, depois de uma queda feia, e que mais uma vez demonstra a falta de cuidado dos ciclistas, quando atiram os seus bidons para a estrada. Thomas era o favorito para a vitória geral, mas caiu na zona de abastecimento e perdeu doze minutos. Hoje de manhã, após exames adicionais, soube-se que sofreu uma fratura pélvica, decidindo então abandonar o Giro.

De acordo com o médico da equipe Ineos, Phil Riley, é uma “pequena fratura não montada na parte inferior da pelve. Thomas abandonou por precaução, porque é uma lesão que pode facilmente piorar ”.

O próprio Thomas também respondeu. “É muito frustrante. Trabalhei muito para o Giro. Penso mesmo que estava em melhor forma do que quando ganhei o Tour . Que pena. Queria ajudar os meus companheiros de equipa a vencer uma etapa. Mas, no fundo, sabia que algo estava errado, foi por isso que recorremos a estudos adicionais. “

O ano de desastre da Ineos é completo. A direção da equipa decidiu ter Egan Bernal para o Tour de France como o único líder. Thomas chefiaria o Giro e Chris Froome a Vuelta. Bernal deixou o Tour cedo e agora Thomas está seguindo o seu exemplo no Giro. Froome é, portanto, a última esperança de uma vitória em uma grande prova este ano. A Vuelta começa no dia 20 de outubro e a 8 de novembro conhecemos o vencedor da Vuelta.