Um olhar à Volta – 5ª etapa

Daniel McLay corre para a vitória na primeira temporada na Volta a Portugal

Sem grande história esta 5ª etapa da Volta a Portugal Especial. A partida foi dada em Oliveira do Hospital rumo a Águeda com 176,3 Km. Uma etapa sem grandes dificuldades, apenas com duas contagens de Montanha de 4ª Categoria e as quase tradicionais, três Metas Volantes. Mas esta etapa começou mal para Jóni Brandão que caiu no podium antes da partida e caiu também 20 segundos na Classificação Geral por via de uma penalização de ontem, por abastecimento líquido depois dos últimos 10 km, o mesmo acontecendo ao seu colega de equipa António Carvalho. A decisão foi tomada pelos comissários e de facto há muito pouco a dizer, porque os regulamentos proibiam os corredores de o fazerem. Se calhar estes corredores não viram nenhum comissário por perto e infringiram as regras. Não contavam era que há um comissário que está a assistir à etapa via imagens televisivas. Aliás, é o que acontece nas provas de índice superior, determina a UCI.

Tal como era previsível, esta etapa seria protagonizada pelas segundas linhas e para as equipas com sprinters. A Arkéa/Samsic trouxe uma equipa talhada para isso, a Miranda/Mortágua também trazia um corredor para as chegadas, o venezuelano Leangel Linarez, a Nippo/Delko/Provence com Mauro Finetto e Riccardo Minali dois italianos fortíssimos para as chegadas, o lusitano César Martingil da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel também é especialista e se o Luís Mendonça ainda estivesse em prova, daria com certeza luta. O vento voltaria a ser um perigoso adversário na estrada para os ciclistas. Muito cedo uma fuga com cinco ciclistas foi, por assim dizer, autorizada pelo pelotão e lá foram eles umas dezenas de kms, sempre sem grande vantagem de tempos. Luís Gomes da Kelly/Simoldes/UDO, portador da camisola vermelha dos pontos, desta vez deixou-se ficar calmamente no pelotão e não se desgastou muito. Contudo e depois dos cinco fugitivos terem sido alcançados, não perdeu o ensejo de pontuar na Meta Volante de Sangalhos.

Quem já não precisava de pontuar para a Montanha era o jovem pacense da Rádio Popular/Boavista, Hugo Nunes que já ontem tinha feito os pontos suficientes para se ter sagrado o virtual vencedor da camisola vermelha e branca, símbolo de líder da Montanha. Apesar de não ser um ciclista para grandes montanhas, é um ciclista que tem pernas para montanhas de 2ª e mais baixas. É um destaque porque ontem era apenas a quarta etapa e elas são oito, o que significa que venceu a liderança da Montanha a meio da Volta. A única dificuldade da etapa estava centrada na chegada à capital da bicicleta, Águeda, com o final ligeiramente inclinado. O comboio da Arkea/Samsic vinha já à algum tempo a dominar na cabeça da corrida e foi só proteger o seu líder, o inglês Daniel McLay, para ele vencer sem grandes problemas, com o venezuelano Leangel Linarez a fazer segundo, depois de uma boa recuperação desde a última rotunda onde entrou muito mal. O 3º na etapa foi Riccardo Minali, em 4º apareceu Luís Gomes para pontuar para a camisola vermelha, Daniel Freitas da Miranda/Mortágua fez 5º, em 6º lugar terminou David Gonzalez da Caja Rural/SegurosRGA, 7º lugar para Alejandro Marque da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel, Délio Fernandez da Nippo/Delko/Provence faz 9º e a fechar o top 10, Christian Rodriguez da Caja Rural/SegurosRGA.

A Classificação Geral está agora assim ordenada: 1º – Amaro Antunes (W52/FCP), 2º – Frederico Figueiredo (Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel) a 13s, 3º – Gustavo César Veloso (W52/FCP) a 1:13m, 4º – João Benta (Rádio Popular/Boavista) a 1:27m, 5º – Jóni Brandão (Efapel) a 1:37m, 6º – João Rodrigues (W52/FCP) a 2:00m, 7º – Alejandro Marque (Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel) a 2:15m, 8º – António Carvalho (Efapel) a 2:15m, 9º – Délio Fernandez (Nippo Delko Provence) a 2:31m e em 10º – Cristián Rodriguez (CajaRural/SegurosRGA) a 2:43m. A Camisola Vermelha dos Pontos continua com Luís Gomes (Kelly/Simoldes/UDA), a da Montanha, definitivamente em Hugo Nunes (Rádio Popular/Boavista). A Camisola Branca da Juventude com Simon Carr (Nippo Delko Provence). Por equipas lidera a W52/FCP.

A etapa de amanhã terá 155 Km para se percorrer entre Caldas da Rainha e Torres Vedras. Terá as tradicionais três Metas Volantes e uma contagem de Montagem de 4ª categoria em Alfeizerão. Uma etapa com poucas dificuldades, também talhada para um sprinter ou uma chegada de um herói em fuga. O vento lateral e talvez um pouco de chuva pode provocar algum stress no pelotão. Esperemos que não seja uma etapa para abandonos como os de hoje que retiraram três ciclistas ao pelotão: António Ferreira da Feirense, Márcio Barbosa da Aviludo/Louletano e Gaspar Gonçalves da Miranda/ Mortágua. Esperemos que amanhã na terra do grande Joaquim Agostinho o público venha para a estrada saudar os ciclistas. Eles precisam disso.

Jorge Garcia