Um olhar à Volta – 4ª etapa

Brandão vence etapa rainha na Volta a Portugal

A temível chegada à Torre acabou por ser mais, a «montanha pariu um rato»!. E digo isto porque a etapa foi dura como de costume, mas com os ventos fortes como hoje, não seria razoável pedirmos mais à dezena de corredores que se manteve quase compacto até ao final e aos resistentes que lhes seguiam. A partida para esta etapa foi dada na Guarda para percorrerem 148 Kms até ao Alto da Torre em plena Serra da Estrela. Era a etapa mais curta da Volta mas sem dúvida a mais dura. As expectativas à partida seriam que era uma etapa que iria definir alguma coisa quanto aos potenciais candidatos à vitória final. Também poderiam aparecerem novos candidatos à camisola de líder da Montanha e também o dos Pontos, já que Luís Gomes da Kelly / Simoldes / UDO, dera mostras ontem de a querer levar para casa. Pois bem, a história desta etapa, pode dizer-se, teve um final feliz. Mas não foi uma etapa espetacular como sempre.

Desde muito cedo, como é habitual, começam as escaramuças no pelotão para a lotaria da fuga. Foi então que 14 corredores, onde se incluíam os portadores da liderança de Montanha e as dos Pontos a fazerem parte, pois claro, desse grupo de aventureiros. Era uma oportunidade a não desperdiçar, e convenhamos que não havia mais ninguém que pudesse contrariar essas duas lideranças. A história da etapa começava então com a expectativa de saber se Luís Gomes iria sprintar nas Metas Volantes, para ganhar nas três oportunidades que tinha até Gouveia. O Gaiense de 26 anos não deu possibilidades a ninguém e pontuou nas três em primeiro. A outra expectativa era se Hugo faria o mesmo no Prémio de Montanha de 2ª categoria nas Penhas Douradas e se o mesmo aguentava ainda o de Sarzedo de 3ª categoria, ainda antes da chegada à Covilhã. Pois bem, o ciclista da Rádio Popular / Boavista não deixou os seus créditos por bicicletas alheias e fez primeiro nas duas. Logo após a passagem pela Covilhã e umas centenas de metros mais à frente, o ciclista Cristián Rodríguez da Caja Rural /Seguros RGA, deixa para trás os seus companheiros de fuga e segue sozinho montanha acima. O resto dos fugitivos foram sendo absorvidos pelo pelotão e sobretudo pelos candidatos e alguns companheiros para lhes darem guarida na conquista da glória na etapa. Desta vez a Efapel mostrou querer ganhar a etapa e foi desferindo vários ataques, Com Jóni Brandão, depois mais à frente com António Carvalho. A equipa W52 / FC Porto tinha no grupo perseguidor ao fugitivo espanhol, João Rodrigues, Amaro Antunes e Gustavo César Veloso. A Rádio Popular / Boavista, trazia o João Benta e o Luís Fernandes. Pela Efapel o Jóni Brandão e o António Carvalho. A algarvia da Atum General / Tavira / Maria Nova Hotel com Frederico Figueiredo e Alejandro Marque e ainda Délio Fernández da Nippo Delko Provence. Quem não conseguiu acompanhar este grupo de favoritos foi Vícente Garcia de Mateos da Aviludo / Louletano. À medida que se aproximava a Torre o vento foi um adversário não esperado. Sózinho na frente o homem da Caja Rural / Seguros RGA não teve grandes hipóteses de resistir aos perseguidores. Nos quilómetros finais houve tentativas de desgastar os homens da W52 / FC Porto primeiro por António Carvalho da Efapel depois por Luís Fernandes da Rádio Popular/ Boavista que tentou a sua sorte. Mas não estavam reunidas as condições para ninguém ganhar grande vantagem até ao final porque estava imenso frio e nevoeiro. Assim o mais forte na chegada acabaria por ser Jóni Brandão da Efapel, Frederico Figueiredo fez segundo, Amaro Antunes, terceiro, Gustavo César Veloso em quarto, todos a 3 segundos de Brandão. Depois em 5º António Carvalho a 11s, João Benta em 6º a 13s, Délio Fernandez em 7º a 17s, Luís Fernandes fez 8º lugar a 24s, João Rodrigues a 34s e a fechar o top 10 o Cristián Rodriguez também a 34s.

A Classificação Geral está assim ordenada: 1º – Amaro Antunes (W52/FCP), 2º – Frederico Figueiredo (Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel) a 13s, 3º – Gustavo César Veloso (W52/FCP) a 1:13m, 4º – Jóni Brandão (Efapel) a 1:17m, 5º – João Benta (Rádio Popular/Boavista) a 1:27m, 6º – António Carvalho (Efapel) a 1:55m, 7º – João Rodrigues (W52/FCP) a 2:00m, 8º – Alejandro Marque (Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel) a 2:15m, 9º – Délio Fernandez (Nippo Delko Provence) a 2:31m e em 10º – Cristián Rodriguez (CajaRural/SegurosRGA) a 2:43m. A Camisola Vermelha dos Pontos continua com Luís Gomes (Kelly/Simoldes/UDA), A da Montanha em Hugo Nunes (Rádio Popular/Boavista). A Camisola Branca da Juventude com Simon Carr (Nippo Delko Provence). Por equipas lidera a W52/FCP.

Amanhã corre-se a 5ª etapa que parte de Oliveira do Hospital rumo a Águeda numa extensão de 176,3 Kms com dois Prémios da Montanha de 4ª categoria e três Metas Volantes. Será um etapa sem grandes dificuldades e que servirá para os que mais têm arriscado, descomprimirem um pouco e deixarem aos colegas pior classificados as despesas da corrida. Em princípio seria uma etapa para spinters mas pode muito bem ser aproveitada para uma fuga isolado. Cá estaremos amanhã para contar como foi.

Jorge Garcia