Serra vazia e vila cheia

O público acotovelava-se em Mondim de Basto, não eram os milhares de outros anos, mas eram muitas as pessoas que foram obrigados a juntar-se . Na verdade, se houvesse bom senso e inteligência, chegar-se-ia à conclusão que se as pessoas pudessem subir ao longo da escalada para a Senhora da Graça, estariam em maior segurança, porquanto espalhar-se-iam e ficariam mais afastadas umas das outras.

O velho problema é que se quer fazer cumprir regras, sem as analisar, e proibir as pessoas de poderem estar na berma da estrada, não foi a melhor solução. No meio da serra, resistindo estoicamente, descortinamos apenas, curiosamente, dois adeptos do Boavista, com uma carrada de garrafas vazias de cerveja, já alegres, e foram os únicos resistentes dos milhares que todos os anos vêm em peregrinação a esta local de culto, do ciclismo.

Dois espetadores para um espetáculo desta natureza, parece-nos uma severa e contínua reprimenda, não ao ciclismo, mas ao desporto em geral. Manda quem pode, obedece quem deve, mas mandem, ao menos, bem.