E tudo por causa de 100 ml de soro fisiológico…

A investigação criada durante o Tour de France de 2020 em torno de Arkéa – Samsic ainda está em andamento. O médico e o fisioterapeuta , detidos pela polícia francesa a conselho do Ministério Público de Marselha, foram libertados ontem à noite, e o procurador Dominique Laurens que está a tratar do caso deu a entender que ainda pode haver outros desdobramentos, mas que em qualquer caso sejam necessárias mais investigações antes de se chegar a uma decisão sobre a possível acusação de “administração e prescrição de substância ou método proibido durante um evento desportivo a um atleta, sem justificação médica”.

Os atletas, ouvidos voluntariamente como também especificou Nairo Quintana, que falava de suplementos perfeitamente legais, são, pelo contrário, suspeitos de terem possuído, “sem justificação médica, uma substância ou método proibido“. O colombiano, cujo nome nunca foi formalizado pelo promotor e também pelos demais integrantes da equipa, explicou que não era doping e que estava à disposição para esclarecer os detalhes necessários ao encerramento do caso.

Um caso que, pelos vistos, está centrada na deteção de uma quantidade de 100 ml de soro fisiológico, e uma seringa.