Porte o mais azarento do Tour ?

Há ciclistas azarentos. O azar é aleatório não escolhe nomes, por isso no Tour ou noutra prova qualquer, lá estão as contrariedades para este ou aquele ciclista. Muitas quedas, mas se repararmos nas últimas edições do Tour há um ciclista que nas suas participações tem sido muito causticado pelo infortúnio. Referimo-nos naturalmente a Richie Porte. O australiano este ano até não teve muitos azares com as quedas, mas hoje mais uma vez, o dedo apontador sinalizou-o, num momento crucial da etapa, quando foi vitima de um furo. A desempenagem ainda demorou algum tempo, mas felizmente a sua recolagem ao grupo da frente acabou por ser feita.

Richie Porte (REUTERS/Benoit Tessier)
Em 2018 quando era 10ª no Tour, foi obrigado a abandonar na nona etapa. No ano anterior também desistiu por queda.

Ciclista discreto, Porte foi um dos melhores ciclistas deste Tour, pela sua regularidade e sobretudo, pela sua compreensão da corrida. Disse que era o último Tour como chefe de fila e a missão acabou por lhe sair bem. Foi pena não ter um lugar no pódio, que pode ainda aspirar no C/R final onde é superior a Miguel Angel Lopez, se bem que a diferença seja grande. Mas não há impossíveis.