Wiggins critica Dave Brailsford: ” deixar Froome e Thomas de fora foi um erro”

Décimo terceiro a mais de 8 minutos do líder Primoz Roglic e décimo sexto a mais de meia hora. A dupla da INEOS Egan Bernal e Richard Carapaz não tem qualquer hipótese de vencer o Tour. A equipa britânica, a mais cara do mundo, assumiu a vulgaridade, nada de acordo com os seus pergaminhos. De acordo com Bradley Wiggins, a equipa fez as escolhas erradas na sua seleção. “Não vejo como Richard Carapaz poderia ser um substituto digno para Chris Froome e Geraint Thomas.

Egan Bernal não se sucederá. Richard Carapaz também não vencerá o Tour de France. O líder das sombras, Pavel Sivakoz teve azar: o russo , que fazia o seu primeiro Tour caiu duas vezes na primeira etapa , estando num modesto 107º lugar na classificação geral.

Bradley Wiggins, que se juntou com sucesso à antecessora da INEOS, Team Sky, entre 2010 e 2015, tem dúvidas sobre a seleção do seu ex-empregador para o Tour. O técnico Dave Brailsford, em particular, tem que assumir as consequências. Quando questionado no Eurosport se a equipa não sente falta da experiência de Chris Froome e Geraint Thomas neste Tour, Wiggins não teve papas na língua:

“Absolutamente. Brailsford deveria trazer os seus grandes nomes para uma grande corrida como o Tour ”, explica. É incompreensível para o antigo vencedor do Tour que Froome e Thomas estejam atualmente a correr o Tirreno-Adriatico. “Nem que seja pela sua presença, pelo seu papel nas corridas ou na mesa de jantar, certamente que Geraint Thomas poderia ter um papel semelhante a Tom Dumoulin no Team Jumbo-Visma. Thomas assumiria esse papel perfeitamente. ”

‘Wiggo’ teve palavras especiais para Wout van Aert, já vencedor de duas etapas e com um papel relevante no seio da sua equipa.

Já não temos mais superlativos para Van Aert . Ele quase assumiu dominou Peter Sagan. Em termos de tipo de ciclistas, Van Aert pode ser comparado ao Sagan do ano passado. Claro que a grande forma de Sagan só agora está a ser vista nesta competição.

Van Aert quer marcar posição no Tour de Flandres e Paris-Roubaix. De acordo com Wiggins, Van Aert pode ir ainda mais longe.

“Se tudo voltar ao normal e as clássicas continuarem no próximo ano, Van Aert será um dos melhores ciclistas do mundo em corridas como Paris-Roubaix, podendo até vencer Liège-Bastogne-Liège.O seu talento é muito versátil .”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *