Tática da Bora ( ou falta dela) deixou a desejar

A equipa de Sagan provocou hoje uma pequena hecatombe no pelotão, não no grupo dos envolvidos na luta pela camisola amarela, mas sim na luta pela camisola verde.

Os homens da Bora impuseram um ritmo forte que acabou por ser favorável aos seus intentos : afastar os principais sprinters, entre eles Sam Bennett, para permitir a Peter Sagan discutir o triunfo da etapa, sem os seus habituais adversários. A equipa de Sagan, porém, depois de feito este trabalho desapareceu de cena e, ainda mais, grave, encaixou um dos seus ciclistas no grupo de fuga, que viria a tirar os almejados pontos que Sagan tanto precisa. Mas o pior é que neste grupo, o ciclista da Bora que dele fazia parte, puxava tanto com os outros companheiros de fuga, com exceção naturalmente dos homens da Sunweb, que tinham Hirschi na dianteira.

Sagan ainda foi o primeiro do pelotão, mas pouco lhe adiantou, foi 13ª na etapa. As táticas no World Tour são um bocadinho torpes, para não dizer outra coisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *