Thomas: ” o papel de líder é o único que me interessa”

Nas semanas que o ciclista Chris Froome queria ir em busca de sua quinta vitória no Tour de France, participa na prova italiana Tirreno-Adriatico. “Não escondo o fato de que não estou onde gostaria de estar”, disse o britânico ao jornal La Gazzetta dello Sport.

Chris Froome e Geraint Thomas (finalmente) mostram a parte de trás da língua: "Eu não queria ir para o Tour como ajudante"
Foto: AP


Depois de sua forte queda no ano passado, a administração do Team Ineos não o considerou capaz para o Tour. “Foi uma decepção, mas agora encaixei a 100%” a decisão , disse Froome. “Também tento melhorar a cada dia no Tirreno. Estou convencido de que posso competir no mais alto nível nos próximos anos. O fato de muitos dos chamados especialistas duvidarem disso só me motiva. Tenho muita confiança de que as coisas vão dar certo. ”

Froome (35) assinou um contrato de dois anos com a Israel Start-Up Nation a partir da próxima temporada. ‘.

Por seu turno Geraint Thomas afirmou também ao jornal italiano que só queria competir na Grande Boucle como líder.

“Isso pode parecer um pouco duro, mas eu não queria ir ao Tour“, disse Thomas, de 34 anos. “Foi uma decepção não poder participar, mas tenho a sensação de que cheguei a um ponto da minha carreira em que preciso aproveitar ao máximo as oportunidades que se apresentam. No Giro (3-25 de outubro, ed.), tenho mais hipótese, o percurso é mais ao meu jeito. Ainda tenho a sensação de que posso assumir o papel de líder numa grande prova. Esse é o único papel que me interessa. “” T.

Thomas não passou do 37º lugar na classificação final do Dauphiné em agosto. “Estou um pouco melhor agora“, declarou hoje. “A sensação é boa. Minhas ambições no Tirreno? Não sei ainda, hoje as coisas acabaram por correr bem”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *