Ninguém gosta de correr sem ver a estrada, mas é mais custoso ver a estrada vazia

O público marcou presença, na primeira etapa pirenaica e a primeira a ” sério ” do Tour, mostrando a imagem de força que o ciclismo tem atualmente junto do público. Foram milhares estrada acima, pouca diferença, se é que havia, dos “tempos” do Tour de julho, das férias e dos hábitos de muitos franceses e estrangeiros.

Estamos em plena época Covid, poderia haver mais contenção por parte do público, mas o que será do desporto sem emoção, sem pessoas, nas bermas da estrada, nas bancadas dos estádios, apenas um vazio inócuo, como são os jogos de futebol com as bancadas vazias. O ciclismo mostrou que tem força, e que mesmo os perigos para quem se deslocou serem grandes, lá estavam a aplaudir os seus ídolos e a fazerem parte do espetáculo.

Poderia haver, é certo, mais contenção por parte dos fãs. Ninguém gosta de correr sem ver a estrada, mas é mais custoso ver a estrada vazia.