Lutsenko um triunfo de classe- na frente tudo na mesma

Resultados da fase 6 do Tour de France.  Alexey Lutsenko vence em Mont Aigoual, Greg Van Avermaet habilmente terceiro

Finalmente uma fuga bem concretizada. Uma bom vencedor, um ciclista de grande qualidade, o cazaque Lutsenko da Astana, que sobreviveu a até final, deixando pelo caminho alguns companheiros de escapada de renome, como Van Avermaet, Jesus Herrada e Nicholas Roche.

” É sempre importante ganhar uma etapa no Tour. Demorou algum tempo, mas finalmente consegui. Na reunião da equipa de hoje, o Vino avisou que era uma boa etapa para procurar o triunfo ” – palavras de Lutsenko no final

Uma boa estocada de Julian Alaphilippe, a cerca de 500 metros da meta, não fosse Molemma e podia ter ganho cinco segundos, mostrando que o francês reagiu a quente à penalização de ontem ; a permanência da Ineos no comando do pelotão, ou o que restava dele nos últimos kms da etapa; o aumento da vantagem de Sam Bennett para Peter Sagan na luta pela camisola verde, foram alguns pontos marcantes da tirada de hoje, onde os favoritos se remeteram a uma vigilância apertada.

A Ineos apareceu muito pela frente na etapa de hoje.

Se a Ineos pretendeu mostrar-se, aparentemente sem o mesmo vigor da Jumbro-Visma, esta pelo contrário decidiu poupar energias, vivendo já à custa de dois triunfos de etapa, um pecúlio que ninguém se pode gabar até o momento.

Já a Michelton, a equipa de Yates, o guia da prova, teve um comportamento à altura, controlando uma fuga complicada. com bons ciclistas, que chegou a ter cerca de seis minutos de avanço.

Conseguimos controlar e aguentar a amarela, mas este não é o nosso objetivo,. Viemos ao Tour para ganhar etapas e com a camisola amarela não é fácil consegui-lo. Vamos entrar numa fase mais dura do Tour, sabemos que vai ser difícil, mas esperamos sair-nos bem.” . Adam Yates, o britânico que lhe viu cair nos braços, ontem a camisola amarela, sem nada ter feito por isso . ” Não tinha grande gosto em vestir a amarela deste forma. Mas o regulamento obriga.me a isso” – afirmou o leader do Tour, antes da partida da etapa de hoje, numa demonstração de fair play.

No final , Mollema, sempre ele, referira na televisão holandesa ter ouvido Bernal pedir a Kwiatkowski para rolar mais devagar. O colombiano não gostou e fez lembrar que ” a cada dia que passa cada vez me sinto melhor. Sinto-me a recuperar bem.” estas foram as palavras de Bernal. Para confiar ?