Demare, Van der Poel e Leon Sanchez titulares nos seus países

Realizaram-se este fim de semana os principais campeonatos nacionais europeus, com os grandes países da modalidade a fazerem coincidir as suas provas. campeonatos em que alguns deles ficaram marcados pela ausência de nomes famosos, obrigados a permanecerem na “bolha” da sua equipa, com vista ao Tour. Isto é, foi preferível não correr o risco contra eventuais possibilidades de apanhar o vírus que impediriam os ciclistas em causa de participarem na principal prova mundial.

Nomes importantes foram consagrados campeões, o que nem sempre sucede. Em França, Arnaud Demare demonstrou que é, neste momento um dos ciclistas mais perigosos. Foi vencedor com categoria, mas sobretudo com confiança, levando a melhor sobre Coquard e Allaphilipe. Então Coquard foi uma desilusão, demonstrando estar muitos watts abaixo do ciclista da Groupama, que somou o seu quinto triunfo na época Covid.

O momento decisivo da corrida, quando Van der Poel atacou, deixando a concorrência a mais de um minuto de diferença. Foto: ANP

De França para a os Países Baixos, onde Van der Poel fez jus às suas aspirações, ele que queria ser campeão. Estes foram uns dos campeonatos em que os homens selecionados para o Tour por algumas equipas não compareceram na linha de partida. Van der Poel ganhou depois de ter andado isolado 44 kms, com uma margem confortável sobre o segundo classificado, Nils Eekhoff ( Sunweb) e Timo Roosen ( Jumbo) terceiro, naquilo que foi um descalabro da equipa sensação da temporada.

Mateo esteve em grande plano nos Campeonatos de Espanha.

Da Holanda para Espanha, onde Luis Leon Sanchez se sagrou campeão, com lágrimas, num campeonato marcado pela ausências dos principais nomes da Movistar, e pela avaria de Jesus Herrada, mais lágrimas que perdeu com a meta à vista o segundo lugar. Um terceiro lugar para Vicente Garcia de Mateo ( Louletano), muito ativo ao longo da corrida. De registar também o 10º lugar de Gustavo Veloso ( W52), e o 20º lugar de Alberto Gallego ( RP-Boavista) e 24º de Angel Sanchez ( Mortágua), outros “portugueses” terminaram a prova mas já muito distantes dos principais lugares.

Campeonatos nacionais: Luis Leon Sanchez conquista o título espanhol após emocionante final

Finalmente um triunfo de peso para Giacomo Nizzolo, que venceu ao sprint os campeonatos italianos à frente de Davide Ballerini e Sonny Colbreli, que mostrou mais uma vez que é um sprinter regular mas pouco ganhador.

Em campo e agora também na estrada: Marcel Meisen leva o título alemão contra o favorito Ackermann

Na Alemanha foi um desconhecido a vencer à frente de Pascal Ackermann (Bora) e Alexander Krieger ( Alpecin). O vencedor foi Marcel Meisen ( Alpecin), que obteve aos 31 anos o triunfo de uma carreira. No país dos sprinters, Meisen foi rei por um dia.

Em países mais secundários em termos de ciclismo, Kevin Genietz ( Groupama) levou a melhor sobre Bob Jungels, crónico vencedor no Luxemburgo, e que desta vez ficou a ver navios.