Longa fuga dá vitória a Scarponi na sexta etapa do Giro

Uma fuga de quase 200 quilómetros deu hoje a Michele Scarponi (Serramenti PVC Diquigiovanni-Androni Giocattoli) a vitória na sexta etapa da Volta a Itália, uma longa tirada de 248 quilómetros com partida de Bressanone/Brixen e chegada Mayrhofen im Zillertal, Áustria. Outro italiano, Danilo di Luca (LPR Brakes-Farnese Vini), manteve a camisola rosa, símbolo da liderança na prova.

Depois de duas etapas com final em alto, a história da tirada de hoje resume-se à fuga do dia, encetada, pouco depois do quilómetro 50, por Michele Scarponi, Guillaume Bonnafond (AG2R), Vasil Kiryienka (Caisse d’Epargne), Oscar Gatto (ISD), e  Kasper Klostergard (Saxo Bank). A vantagem do quinteto chegou aos 9 minutos, a pouco menos de 100 quilómetros para o final. A perseguição fez cair a diferença, mas Scarponi, na companhia de Kiryienka, ainda mantinha uma vantagem superior a 4 minutos na última montanha, a cerca de 45 quilómetros do final.

O corredor da Caisse D’Epargne não resistiu ao esforço e viu Scarponi seguir sozinho para a meta. Numa luta de um homem contra o grupo que atrás puxava, o italiano da Diquigiovanni foi perdendo tempo, mas mantendo a esperança. E era uma esperança justificada, pois alcançou a meta na terceira posição, com mais de meio minuto para os primeiros homens do pelotão.

Os pretendentes à vitória final não provocaram grandes movimentações na etapa de hoje, pelo que a liderança de di Luca, ainda que presa apenas por 5 segundos para Thomas Lovkvist (Team Columbia-High Road), manteve-se segura.

Amanhã corre-se a sétima etapa. Será mais uma longa estirada superior a 200 quilómetros. O pelotão vai percorrer 244 mil metros com partida da cidade austríaca de Innsbruck e chegada, em solo italiano, a Chiavenna.