Imagem de grande civismo, hoje na Anadia

O ciclismo deu hoje uma imagem de maioridade, mas sobretudo de maturidade e de grande sentido de responsabilidade. E quando dizemos o ciclismo, naturalmente que alargamos o sentido da palavra a todos os agentes da modalidade.

E porquê ? Sobretudo pela elevada dose de civismo de todos quantos se apresentaram na Anadia . Primeiro o público que respeitou a vedação de acesso à denominada zona 0, onde apenas os portadores de uma pulseira amarela, assinalava que tinham sido submetidos a um controlo sanitário.

Depois pelo distanciamento entre equipas, facto pouco comum no ciclismo, em quer o elevado grau de afetividade entre adversários é muito diferente de outras modalidades.

Uma palavra, naturalmente para a organização, que esteve ao nível do tão desejado regresso do ciclismo à competição, e que foi pena não ter sido ” visitado” pelos mais diversos Orgãos de Comunicação Social. O ciclismo hoje mostrou que é diferente, o que não quer dizer que, daqui para a frente não haja muito, mas mesmo muito a fazer. Assim o queira a FPC, que a bem ou a mal, tem de descalçar a bota do sapato e, de uma vez por todas, assumir a responsabilidade de fazer a Volta : com Podium ou sem Podium .