Michelton-Scott é para durar…

Zangam-se as comadres descobrem-se as verdades. Afinal a equipa da Michelton-Scott não vai mudar de nome nem de dono, continuará propriedade de Gerry Ryan e sediada na Austrália.

De forma repentina e depois de muitos pequenos problemas pelo caminho, o australiano acabou por seguir com o seu projeto, desligando-se da Manuela Fundacion, uma sociedade sem fins lucrativos, e que desde o início se suspeitou não ter fundos de suporte, para os cerca de 15 milhões de euros que estavam envolvidos na operação.

A equipa da Michelton continuará sob bandeira australiana, competindo até final da temporada com a mesma denominação e com os salários a serem atualizados a partir de agosto, altura em que começarão as competições a sério. A Michelton tinha cortado em 70% o valor das mensalidades dos ciclistas desde abril.

A equipa continua à procura de um novo patrocinador, decorrendo negociações na Holanda e Alemanha de forma a dotar a equipa de um plano de sustentação para 2021.