O que veio à rede esta semana

O

Breve resumo, do que foi dito e escrito esta semana, sobre o mundo do ciclismo na imprensa.

Chris Froome, deu uma extensa entrevista numa rede social e um dos pontos focados, foi o doping. O ciclista inglês declarou que as medidas anti-doping melhoraram, mas que ele em particular, tem pago pelos estragos que fez Lance Armstrong e outros ciclistas. E que as novas tecnologias, a nutrição, e as formas de treino, são as responsáveis pela forma como os ciclistas são cada vez mais competitivos em todos os terrenos e por isso a diferença com os ciclistas de há 15 anos atrás.

Pactrick Lefevere, numa entrevista a um jornal belga, revelou que se não houver mais corridas este ano, devido à pandemia, não irá conseguir manter a sua equipa. Não só a dele, Deceuninck-Quick Step, mas que metade desapareceria, à exceção da Ineos que está sentada num monte de notas. Disse que é conhecido por ser um pessimista por natureza, mas que desta vez vai rezar para que consigam manter a maior parte das corridas agendadas.

A Lotto-Soudal Ladies, recebeu uma ajuda importante por parte do Governo Belga: 90.000 euros extra. Esta verba, proveniente da Lotto, a lotaria belga, destina-se a um financiamento para a equipa feminina nesta altura complicada . O desporto feminino, incluindo o ciclismo, é algo que devemos considerar importante, disse o vice-primeiro ministro belga. Que esta notícia faça eco em muitos mais países.

A Colnago, a histórica marca italiana de Ernesto Colnago, com uns ainda muito lúcidos 88 anos, vai ao fim de 60 anos ser obrigada a vender parte da empresa a um fundo baseado nos UAE. A crise da pandemia, vai obrigar muitas industrias a terem dificuldades de exportação e novas oportunidades de negócio. As dificuldades da Colnago são um alerta para varias equipas que têm como parcerias marcas de bicicleta como são o caso da Trek e da Scott.

A Vuelta 2020 já está toda planeada. Sairá do País Basco, mais precisamente de Irún e terminará em Arrate no dia 20 de Outubro. Terá os dias de descanso, dia 26 de Outubro e 2 de Novembro. Só terá um contra-relógio individual no dia 3 de Novembro. As etapas em Portugal estão marcadas para a chegada ao Porto no dia 5 de Novembro e mantém-se a partida de Viseu no dia seguinte.

José Azevedo assinou definitivamente contrato com a Nippo-Delko One Provence, depois de umas semanas de expectativa sobre a continuidade da equipa, devido à conjuntura. O vila-condense tinha tudo acertado, mas faltavam as assinaturas no contrato efetuadas há meia dúzia de dias. Com o novo calendário UCI apresentado, são horas de colocar a equipa a trabalhar e lá estará o português de 46 anos, com funções de diretor desportivo, a fazer valer a sua experiência e curriculum. Sorte, José.

Tom Dumoulin diz-se mais motivado do que nunca. O vencedor do Giro de 2017, afirmou que vai abordar o Tour de França com a maior das ambições. Para ele, se a prova não tiver publico vai parecer muito estranha. Mas como lá está para competir e tentar vencer todos os adversários, essa ausência não terá qualquer influencia, porque um ciclista concentra-se na corrida e nos adversários e não no publico.

Eusebio Unzué deu uma entrevista esta semana e declarou-se muito satisfeito com o calendário da UCI. Sobretudo se se respeitarem as datas previstas. Como os grandes objetivos para este ano é o Tour e a Vuelta, haverá tempo para recuperar a equipa da prova francesa para a espanhola. Diz que se mantém cauteloso sobre a concretização completa do calendário. Mas diz que já se respira melhor em Pamplona, sede da Movistar.

Tajed Pogacar, o esloveno de 21 anos, que começa a ser um caso sério no pelotão mundial, tinha contrato com a sua equipa, a UAE até 2023, mas a equipa decidiu prolongar o seu contrato por mais um ano. Matxin Fernandez o experiente Team Manager da UAE, é reconhecido por descobrir grandes talentos. Este ano a UAE já tinha assinado contrato com um jovem promissor ciclista espanhol de 17 anos, Juan Ayuso.

Alberto Contador deu esta semana uma entrevista a um canal de televisão belga e não poupou elogios a Remco Evenepoel. Disse que nunca viu tanto talento na vida dele. E que as vitórias na Clássica de San Sebastián, o contra-relógio do Campeonato da Europa, a volta ao Algarve e muitas mais, o tinham surpreendido. Disse que não o podia comparar a Eddy Merckx porque eram outros tempos. O pistoleiro revelou que tomou um café com ele e que Remco lhe revelou os dados de 20 minutos de treino. Contador não se conteve em lhe dizer que iria ganhar muitas provas na carreira dele se os dados que lhe estava a revelar se mantivessem. Até o coloca como possível vencedor do Giro.

Jorge Garcia