O que veio à rede esta semana

Breve resumo, do que foi dito e escrito esta semana, sobre o mundo do ciclismo na imprensa:

A Federação Portuguesa de Ciclismo quer reunir-se com as Associações e as equipas profissionais com vista a se poder colocar na estrada em Junho pelo menos duas provas. A proposta já foi apresentada ao Secretario de Estado do Desporto. A Volta a Portugal 2020 continua como exequível.

O calendário para 2020, com as re-programações elaboradas pela UCI, já discutidas com os vários governos, organizadores e agentes, teve que ser adiado pela UCI até 5 de Maio, em virtude das restrições serem diferenciadas em vários países e por isso não pode avançar sem acordos finais.

A Vuelta 2020 está programada para ter partida a 21 de Outubro do País Basco e a chegada a Madrid a 8 de Novembro. Será reduzida para 18 dias com apenas um dia de descanso. O Giro em princípio está agendado para terminar 5 dias antes do inicio da Vuelta. Tudo adiado até 15 de Maio.

Vincenzo Nibali numa entrevista à TV italiana, dirigiu-se ao ministro dos desportos italiano a pedir mais bicicletas e menos viaturas nas cidades italianas. E aproveitou para pedir incentivos como fazem na Inglaterra e na Holanda para a compra de bicicletas. Dias depois a ideia foi aprovada.

Domenico Pozzovivo diz que treina nos rolos com um ferro na tíbia. Tinha operação marcada para o retirar, mas optou por adiar. Tem 37 anos e contrato até 2021 e que pensa abandonar a carreira nessa altura. Mas pode prolongar por mais tempo se se sentir com capacidades competitivas.

Chris Froome declarou a um jornal francês, que ainda não se encontra a 100%, mas com o adiamento do Tour, isso da-lhe mais tempo para afinar a forma. E visa que podem contar com ele para perseguir e conquistar o seu quinto triunfo no Tour de França.

Egan Bernal apesar do confinamento decretado na Colômbia, o ultimo vencedor do Tour foi autorizado a treinar com a condição de não de deslocar para muito longe de Zipaquira a sua terra natal e entre as 5 e as 8 da manhã. Um presente do perfeito Wilson Garcia para a estrela da terra.

Nairo Quintana, Sérgio Higuita e Esteban Chaves não moram na mesma cidade de Bernal e não e por isso não tiveram a mesma sorte. Contudo a Colômbia está perto de resolver o caso dos ciclistas profissionais que devido ao confinamento lá vão fazendo ginásio e rolos.

Os ciclistas profissionais franceses vão poder finalmente começar a treinar nas estradas, a partir de 11 de Maio. Contudo só podem treinar individualmente. Entretanto o Conselho de Estado cedeu a uma pretensão dos ciclistas amadores e é autorizada 1 hora por dia num raio de 1Km da residencia.

Nairo Quintana confessou esta semana numa entrevista a um canal TV que perdeu o Tour de 2015 por causa de um colega de equipa que o prejudicou na penúltima com ações não programadas, mas não revelou o nome. E diz que Froome acabou por o ter agora na equipa. Só pode ser Amador…

Incentivos para a compra de bicicletas no valor de 200 euros é o que o Ministro Italiano decidiu para que os cidadãos optem pela micro-mobilidade. Numa altura de pandemia, o uso da bicicleta ou de uma scotter, é o meio de transporte mais adequado para evitar os transportes públicos a abarrotar.

A equipa UAE anunciou a contratação do ciclista espanhol, Juan Ayuso de apenas 17 anos, considerado como uma joia do ciclismo espanhol. Atual campeão júnior com 6 vitórias durante este ano. A duração do contrato é de 5 anos. O que comprova que o futuro passa pelos jovens talentosos.

Bjarn Riis apelidou de “egoísta ” Dave Brailsford, diretor da Ineos, que não pôs de parte a possibilidade de abandonar o Tour, se as medidas de contenção não forem as melhores.

Jorge Garcia