25 de abril ( quase ) sempre !

25 de Abril. Dia simbólico português dos últimos quase cinquenta anos. O chamado dia da liberdade. Dia que nos trouxe liberdades, o dito 25 de Abril, Sempre, que por ora, melhor será, 25 de Abril, quase, sempre.

Em clausura, que dizer sobre o 25 de Abril? Pela boa disposição, falar de ciclismo, claro. E, neste dia, com a simplicidade que caracteriza a liberdade podemos lembrar que a Volta a Portugal, quase, começou no dia 25 de Abril. Foi, em 1927, em Lisboa, no dia 26 de Abril.

Mas, por terras nacionais, talvez a competição que mais marque Abril, seja a Volta ao Alentejo. Não por ter etapas em Grândola, como tem tido, mas porque, apesar de ser das competições mais móveis no calendário, acaba por ter em Abril um mês importante.

É mais do que um o 25 de Abril celebrado em competição. Relembra-se o último, em 2000, numa etapa que ligou Santo André a Santiago do Cacém, um CRI de 12,5 Km, onde venceu Youri Sourkov, então no La-Pecol. Ciclista que fez a maioria da carreira em Portugal, começou como soviético (até 1991) e acabou como cazaque (pormenores políticos de nacionalidade!). Claus Moller, da Maia, venceu essa Volta ao Alentejo.

Mas também a Volta ao Algarve, estabelecida há vários anos em Fevereiro, não escapa a Abril, e ao dia 25. Nesse dia, em 1989, numa etapa que ligava Odemira a Vila do Bispo, venceu o representante do Louletano-Vale do Lobo, Serafim Vieira, ciclista que foi duas vezes campeão nacional. No fim da Volta ao Algarve, em Faro, Fernando Carvalho, no Louletano Vale do Lobo, foi o primeiro da geral, superando Marco Chagas, colega de equipa e Manuel Abreu da formação Garcia Joalheiro, nome ainda hoje bem presente entre os principais amantes da modalidade. Nomes, aliás. Recorda-se também Manuel Abreu.

Serão outros os 25 de Abril de bicicleta. O italiano Alberto Volpi (Batik) também venceu no Alentejo, em Castelo de Vide, em 1997. Mas resta-nos ficar por aqui e esperar que nos abram o futuro do 25 de Abril.
Luís Gonçalves