Futuro angustiante para organizadores de provas

Enquanto algumas modalidades desportivas como o futebol por exemplo, continuam a sua atividade com a realização de jogos à porta fechada, a receita maior provém dos proventos televisivos, daí que o público em termos financeiros pouco influi, nas finanças dos clubes, já no ciclismo o panorama é bem diferente.

Depois do cancelamento das principais provas primaveris em Itália, provocando um rombo na RCS, que poderão ter graves consequências se o Giro não se puder realizar, conforme aliás, já foi ponderado pelo presidente da UCI, é agora o organizador das clássicas belgas. a Flandres Classics que teme pelo futuro da sua empresa. As provas belgas são extraordinariamente complexas do ponto de vista organizativo, pois para além da organização da competição, são promovidos vários eventos, com zonas VIP e entradas pagas para um serviço de catering que obriga a montagem de estruturas bem pesadas.

A interrogação é grande e a insegurança ainda maior. Aguardemos por melhores dias e que a melhoria de tempo possa liquidar de vez o corona virus.