Projetar o futuro em Oliveira de Azeméis

Observando a apresentação da equipa de ciclismo da UD Oliveirense, só nos pode assaltar um pensamento. Será, porventura, a equipa com maior potencial de crescimento no ciclismo português nos próximos anos.

Por facto, ter beneficiado de ser equipa Sub-25, facilitou esse crescimento sustentado. Mas, esse crescimento sustentado, não tem facto exclusivo nessa benesse federativa.

A verdade é que, apesar disso, o projecto tem sido bem liderado, por gente do ciclismo, que sabe o que é o ciclismo, conhece bem os meandros da modalidade, conhece o mercado da modalidade e que tem o importante condão de se rodear de gente útil à actividade desenvolvida.

Também tiveram os seus contratempos que souberam ultrapassar, e bem. Crescem gradualmente, conseguindo esta época juntar uma equipa que será extremamente competitiva. É um projecto com alguns comportamentos da “velha guarda”, sempre úteis, mas que não deixa de ter, como poucas em Portugal neste momento, um toque de modernidade, a modernidade e adaptação a novas realidades de que o ciclismo precisa. Parece ter ressurgido com parceiros comerciais estáveis e com um projecto de crescimento conjunto e, não pode existir nada mais positivo do que isso.

Não temos por hábito particularizar equipas mas, por excepção, ao contrário do que imaginarão alguns, não nos custa nada dizer que, neste habitual rodopio que são as estruturas de ciclismo (onde só o Boavista parece indiferente a tudo há mais de trinta anos!) talvez a Oliveirense seja a equipa do futuro próximo no ciclismo português, não apenas por ter jovens no plantel, porque muitas das outras equipas também têm, mas pela estrutura organizada e sustentada, que muitas das outras equipas não têm.
Luís Gonçalves