2020 : um número simpático

Saudações ao ilustre Luís Gonçalves para um ano de 2020 cheios de bom ciclismo e com saúde para o ver. Ao ler o seu post, com sabor a nostalgia e pouco crente numa época nacional pouco competitiva se calhar por crer que os patrocinadores aventureiros são tão raros como trufas em Portugal. Dou-lhe razão, obviamente. Mas vou-lhe lançar uma seta de entusiasmo! Então esqueceu-se de falar nas duas etapas da Vuelta que irão decorrer em Portugal. A primeira com uma chegada à Foz do Porto em 3 de Setembro e de uma saída de Viseu no dia seguinte. Por acaso posso contar por estar envolvido numa ideia de trazer ao Porto um contra-relógio por equipas ou uma chegada em etapa da Vuelta em 2014. Houve negociações entre a autarquia do Porto e o organizador da Vuelta mas os valores negociados subiram de tal ordem que na altura foram considerados incomportáveis para a Autarquia naquele ano, inicio do mandato do presidente Rui Moreira. Os valores atingiram um milhão de euros, mais ou menos! A ideia nunca fui esquecida, e bem, e neste ano em parceria com Matosinhos foi possível trazer uma etapa da Vuelta.

Não tenho duvida do tremendo sucesso, não tenho duvida do acerto da ideia por parte do executivo camarário do Porto e quase arrisco a dizer que em 2021 vai haver um incremento no investimento no ciclismo nacional por causa deste evento este ano. Espero não me enganar e quero ver um ano cheio de entusiasmo em todos os amantes do ciclismo. Aproveito para desejar as melhores das felicidades para todos os leitores para este ano com um numero simpático: 2020.

Jorge Garcia