Israel Start Up – Nation uma estreia em 2020 no World Tour

Israel Start-Up Nation opta pelo branco com uma faixa azul

Começou devagar, foi ganhando espaço sempre progredindo e, na próxima temporada, depois de ter adquirido a licença World Tour da Katusha, a Israel Cycling Academy virou World Tour e uma nova denominação Israel Start Up – Nation .

A equipa será composta por trinta ciclistas e tem Dan Martin para as provas por etapas como o grande nome e Nils Politt que veio da Katusha para as provas clássicas. Dois trunfos importantes, de uma equipa que veio para ficar.

” Iremos ter a possibilidade do nosso nome, Israel no Tour, que será visto por mais de 2,6 bilhões de pessoas, o que é muito simbólico.”, declarou o milionário israelo – canadiano Sylvan Adams, dono da equipa.

Composição da equipa:

Matteo Badilatti (20), Rudy Barbier (20), Jenthe Biermans (20), Guillaume Boivin (20), Mathias Brandle (20), Alexander Cataford (20), Davide Cimolai (21), Alex Dowsett (20), Itamar Einhorn (20), Omer Goldstein (20), André Greipel (20), Ben Hermans (21), Hugo Hofstetter (21), Reto Hollenstein (20), Daniel Martin (21), Travis McCabe (20), Dani Navarro (20), Krists Neilands (21), Guy Niv (20), James Piccoli (20), Nils Politt (20), Alexis Renard (20), Mihkel Raim (20), Guy Sagiv (20), Patrick Schelling (20), Rory Sutherland (20), Tom Van Asbroeck (20), Mads Würtz Schmidt (20), Norman Vahtra (20), (21), Rick Zabel (20)

( a negrito os ciclistas que foram contratador para 2020)

As bicicletas são britânicas, a Factor , que assim regressa ao World Tour, depois da experiência com a AG2R, substituindo a marca italiana De Rosa.