Multiplas fraturas para Froome, numa queda violenta

Ravage niet te overzien bij Chris Froome na vreselijke val

Uma lufada de vento, um corpo algo franzino, demasiada velocidade , um femur , um cotovelo e algumas costelas fraturadas afastam Chris Froome de poder discutir o seu quinto triunfo no Tour. Aos 34 anos, Froome dificilmente correrá em 2019, falta saber se o poderá fazer, ao mesmo nível em 2020.

A queda deu-se aquando do reconhecimento do percurso da 4ª etapa, um C/R, numa descida quando o ciclista seguia a 60 kms/h, e uma lufada de vento o fez perder o domínio da bicicleta, contra um muro, quando o ciclista tinha apenas uma mão no extensor do guiador, e com a outra assoava o nariz.

O golpe foi duro para o ciclista britânico que vê o trabalho de uma época reduzido a pó, e coloca a sua equipa numa difícil situação de gestão para o Tour. De uma assentada Geraint Thomas será reconvertido em chefe de fila e Bernal será o número dois da equipa. Para o patrão da equipa, Dave Brailsford foi um a perda irrecuperável: ” Chris estava num momento de forma como à muito não tinha vista. Esperemos agora pela sua recuperação. para nós foi um duro golpe, mas para o ciclista foi ainda mais.