Quem tudo quer tudo perde

A perda da camisola “ciclamina” de Arnaud Demare tem dado muito que falar, em especial na imprensa cor de rosa francesa, pelos piores motivos.

Com Demare confortavelmente instalado como comandante da classificação por pontos, seria óbvio que para roubar pontos a Ackermann, a equipa facilitasse as fugas, ocupando os fugitivos os primeiros postos da etapa, não correndo o francês risco de poder perder a camisola num sprint maciço.

A ocasião, porém, faz o ladrão ou melhor os euros dos prémios poderão ter espevitado os ciclistas franceses que, à revelia das ordens recebidas pelos seus diretores desportivos, resolveram colaborar nos últimos kms, na neutralização da fuga. Dos três ciclistas em fuga só um conseguiu cortar a meta na frente do pelotão , deixando para Ackermann o segundo lugar, suficiente para tirar a camisola a Demare. A 13 pontos de diferença, não é impossível a Demare vir a ganhar esta classificativa, mas a operação é mesmo … impossível.

Por vezes, quem tudo quer tudo perde.