Dois segundos muito discutidos no final do Prémio das Beiras

No final do Prémio das Beiras houve protestos , por parte dos responsáveis do Louletano, em relação aos cortes de tempo, ou melhor ausência de cortes de tempo, entre o segundo classificado, Vicente Garcia de Mateo e o terceiro, o colombino Ávila, da Israel Cycling, que viria a ganhar por escassos dois segundos de diferença.

Houve um corte entre o primeiro, Joni Brandão e Mateo de dois segundos, tendo sido dado o mesmo tempo entre Mateo e Ávila, que as imagens que juntamos nos deixam dúvidas, se houve ou não justificação para corte.

Senão vejamos, enquanto Joni Brandão corta a meta em velocidade, superior à de Mateo, o que aumenta a distancia entre os dois , já o ciclista do Louletano parece cortar a meta em nítido estado de exaustão, com os pedais parados, e o ciclista colombiano vem lançado de trás, em maior velocidade, o que de alguma forma poderá ter completado o espaço que é visível na foto com maior rapidez, tapando o buraco e não dando margem para novo corte, por parte dos cronometristas.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas a sorrir, bicicleta e ar livre

A questão, contudo torna-se pertinente: será que o espaço entre Joni Brandão e Mateo é o mesmo que entre Mateo e Avila ? A imagem não é concludente, mas existe uma diferença superior a duas ou três bicicletas entre os ciclistas, numa chegada bastante inclinada, e cujo tempo para preencher o espaço é bem superior que num sprint a rolar.