Pelotão World Tour com 20 equipas em 2020/2022

Os pontos  estão na ordem do dia, depois da UCI divulgar hoje que cinco equipas de segunda divisão apresentaram a sua candidatura para ascenderem ao escalão World Tour. Dessas cinco formações, nada mais nada menos que quatro francesas, Arkea Samsic, B&B Hotels Vital Concept, Cofidis e Direct Energie,  o que demonstra bem a consistência do ciclismo francês, isto se tivermos em linha de conta que o budget mínimo exigido será da ordem dos 10 milhões de euros.   A outra formação é aIsrael Cycling Academy, equipa que tem uma estrutura já muito semelhante às formações World Tour com trinta ciclistas e  corridas em três frentes, com a ânsia de somar o maior número possível de pontos.

Mas se são cinco as equipas candidatas, a manutenção das atuais 18 formações pode estar em duvida, pois  a UCI tem baseado na conquista de pontos das equipas que estavam inscritas no triénio que agora termina, como um critério classificativo, o que deixa em maus lençóis a Dimension Data e a Katusha -Alpecin, isto se se mantiveram apenas 18 equipas para o triénio 2020 / 2022. A luta pelos pontos é determinante, pois para além dos critérios de fair play financeiro, administrativo e ético, o factor desportivo vai pesar na hora da decisão.

Contudo é de crer que o pelotão World Tour possa aumentar para 20 formações, isto para a UCI evitar problemas legais com as eventuais equipas que desceriam, dadas as regras implementadas não tenham o rigor exigido. Assim, deverão manter-se para o próximo triénio as 18 equipas mais duas a sair das cinco candidatas, Contudo, quer Dimension Data quer a Katusha terão de dar ao pedal, para não serem surpreendidas com equipas de segunda divisão que possam obter mais pontos, o que as colocaria numa situação de eventual descida. Neste momento, a Dimension Data não tem a sua situação muito bem definida, por exemplo.