A primeira Volta ao Alentejo

A 29 de Junho de 1983, em Évora, começava a 1ª edição da Volta ao Alentejo, num dia dividido por duas etapas, uma com inicio e fim em Évora e outra partindo de Évora com chegada a Elvas.

Por mais cinco dias, divididos por sete etapas, o pelotão profissional percorreu pela primeira vez, nesta competição, terras alentejanas, num Alentejo que seria ainda bastante diferente do que é hoje. Para além de Évora e Elvas, localidades clássicas, como Beja, Santiago do Cacém, Grândola e Vendas Novas marcaram partidas e chegadas. Como este ano uma chegada a Moura, então no segundo dia, com vitória de Bernardo Sousa (Coimbrões/Fagor). A curiosidade da última etapa ligar Montemor-o-Novo a Évora, mas ao invés desta edição de 2019, que liga as duas localidades ao fim de cinco dias, em 1983, apenas ao fim de 27 Km, num CRI em que venceu Paulo Ferreira.

Foi aliás este ciclista, defendendo as cores do Lousa/Trinaranjus, que conquistou a primeira edição da Alentejana. O mesmo Paulo Ferreira que venceu uma etapa do Tour em 1984, a quinta, pelas cores do Sporting/Raposeira. Ainda o único triunfo de uma equipa portuguesa no Tour, num ano difícil para o ciclismo nacional, em especial para esta equipa quando recuamos à Volta ao Algarve de 1984 e ao fatídico acidente de Joaquim Agostinho na chegada a Quarteira.

Na geral, em segundo Manuel Zeferino pela Mako Jeans, a 28 segundos e em terceiro Alexandre Ruas, do FCPorto, a 35 segundos.
Em contagem decrescente para a 37ª edição, nunca ficaria mal recordar que Miguel Indurain, o grande Miguel Indurain, venceu em 1996, mas menos mal ficará recordar também quem pedalou pela primeira de muitas Voltas ao Alentejo. Os ciclistas fazem mais história, e são mais fáceis de ser lembrados, mas não são os únicos a pedalar pela história da competição.
Luís Gonçalves