Austrália e África abriram época competitiva

Depois do continente australiano, é agora a vez de África abrir as portas a mais uma competição que, ano após ano, vai ganhando estatuto, muito à custa das influências francesas que se fazem sentir no país. Referimo-nos ao Tour Amissa Bongo, que se disputa no Gabão, e que é a prova mais representativa do continente africano.

O continente africano tem enormes dificuldades em conseguir estabelecer um calendário abastado, e muito menos tem capacidades para constituir equipas de algum gabarito. Os problemas económicos são grandes e não abundam patrocinadores interessados em apostar no ciclismo, sendo a imensa colónia francesa que ainda permanece em alguns países uma das molas impulsionadoras da modalidade. Por isso, não será de estranhar que as principais formações do circuito mundial que iniciaram a prova na Gabão sejam gaulesas : Direct Energie, Vital Concept e Arkea- Samsic.

Com bons climas, um grande trunfo, os novos países do ciclismo global vão ganhando espaço, fazendo convergir a atenção doa fãs da modalidade, numa altura da época em que não abundam as competições.