Sky com futuro garantido ?

A equipa da Sky poderá ter luz ao fundo do túnel e o seu futuro parece cada vez mais risonho. A equipa britânica, com um orçamento anual de 40 milhões de euros é propriedade da Sky que detém 85% e da Century Fox os restantes 15%, ambas pertencentes ao mesmo grupo empresarial.

Segundo notícias postas a circular, a Sky assegurará 70% deste orçamento, durante os dois próximos anos, abrindo porta às possibilidade de Dave Brailsford encontrar um patrocinador, que poderá nestes dois anos, com um custo de apenas 30% aparecer como único patrocinador da equipa, dado que a empresa britânica abdicará do naming nas camisolas.

O problema da Sky ao terminar abruptamente com a equipa, prende-se com os contratos que 12 dos seus ciclistas têm com o proprietário da equipa e entre os quais estão incluídos, entre outros Chris Froome (2020), Micha? Kwiatkowski (2020), Gianni Moscon (2020), Geraint Thomas (2021) e Egan Bernal (2023 ), ciclistas que terão contratos anuais de milhões de  euros.

As perspetivas parecem ser boas para Brailsford, tanto mais que , segundo a Gazzeta de Lo Sport, um multimilionário americano se propõe comprar  a  Tour Racing Limited, a companhia que representa o  Team Sky e posteriormente assinar um contrato de sponsorização com a sua empresa.

Por outro lado, o site de ciclismo do Velonews informa que uma fusão entre a Team Sky e a equipa Israel Cycling Academy, também não está excluída. O bilionário Sylvan Adams, o proprietário canadense da Israel Cycling Academy, quer aceder ao World Tour o mais rápido possível. Um amálgama com o Team Sky seria uma das pistas

Pelos vistos o céu não estará tão cinzento como parece para os lados dos britânicos.