Ainda o caso André Cardoso num comentário de Jorge Garcia

O imbróglio André Cardoso tem motivado algumas reações dos nossos leitores, como o caso em apreço, num comentário  de autoria de Jorge Garcia:

O caso André Cardoso é o maior caso de tortura psicológica que uma Federação Desportiva intenta sobre um seu atleta. Toda a gente ligada ao ciclismo conhece este caso que decorre há quase 16 meses.

Dezasseis meses que mais parecem uma prisão preventiva, pois o ciclista português está suspenso da sua actividade profissional e se vê privado do seu ordenado assim como a sua reputação e seriedade profissional foram postas em causa. Não imagino as consequenciais gravosas que este meio caso acarretou na sua vida. Chamei-lhe meio caso porque uma amostra acusou EPO e uma segunda analise ao mesmo sangue, não confirmou a primeira. Em casos de justiça devem sempre prevalecer que em caso de dúvida se deve dar o beneficio ao infrator. Não foi o caso e na ultima semana um gelado comunidade da UCI põe fim a um caso ainda quase todo por explicar porque não foi assegurado pela UCI que novos factos poderiam ser conclusivos para que o André Cardoso fosse prematuramente afastado da sua paixão.

O comunicado foi lacónico e evasivo. Definitivamente o ciclismo segue por maus caminhos, em que há ciclistas topo de gama pelo poderio financeiro das suas equipas e há outros que não passam apenas de carne para canhão. Lamentável.