Valverde, Valverde… a glória aos 38 anos – Rui Costa notável no seu 10º lugar

Cyclisme sur route - Cyclisme sur route - Alejandro Valverde devant Bardet , Woods (caché) et Dumoulin, dépité. (H.P.Bader/ Reuters)

Valverde, nunca tantos apostaram num provável vencedor como hoje, e nunca tantos acertaram no veredito. Alejandro Valverde conquistou a glória aos 38 anos, um título que tanto perseguiu, uma honra que tanto merecia.

Não é fácil correr uma prova, sabendo de antemão que a corrida estava traçado para o seu perfil, ter uma equipa e uma nação com os olhos postos na sua prestação. A pressão era enorme para  Valverde que sabia que não tinha outra oportunidade, tão ao seu jeito como esta. Uma autêntica clássica  das Ardenas , tipo de provas em que sempre deu cartas.

Foi um campeonato muito previsível, talvez Michael Woods seja uma carta fora do baralho, mas nem tanto assim , pois o canadiano é um especialista da Liége-Bastogne-Liége, e foi um dos trunfos e a chave para o triunfo de Valverde. Depois Bardet que atacou a afastou Julian Alaphilippe, a grande desilusão deste Mundial.  Bardet estava muito forte, ao contrário de Alaphilippe, que deixou de ser hipótese, daí a subida ao poder de Bardet, na seleção francesa.

Vencer só pode ser um, e se Valverde chorava de alegria no final da prova, agradecendo a tudo e a todos, já Bardet não escondia o seu desalento.Outgoing world champion Peter Sagan passes the torch to Alejandro Valverde

Uma palavra ainda para Dumoulin, chegou ao grupo da frente , faltavam mil metros para a meta , completamente esgotado, não pôde fazer nada, nem sequer partir lançado, como muitas vezes acontece. No limite dos limites seguia Moscon com o grupo de Valverde, um pequeno descuido, um desvio para a valeta, perdeu dez metros e nunca mais recolou.

Los ciclistas, en una de las curvas de la prueba.

Estes foram os homens da corrida. Do lado dos portugueses, um notável 10º lugar de Rui Costa deu alento à seleção, que terminou ainda com Nelson Oliveira na 35ª posição, os restantes desistiram, situação normal num Mundial.

Classificação:

12º Alejandro Valverde 6.46.41
2 Romain Bardet (France)
3 Michael Woods (Canada)
4 Tom Dumoulin (Netherlands)
5 Gianni Moscon (Italy) 0:00:13
6 Roman Kreuziger (Czech Republic) 0:00:43
7 Michael Valgren Andersen (Denmark)
8 Julian Alaphilippe (France)
9 Thibaut Pinot (France)
10 Rui Costa (Portugal)
11 Ion Izagirre Insausti (Spain)
12 Bauke Mollema (Netherlands) 0:00:49
13 Mikel Nieve Iturralde (Spain) 0:00:52
14 Sam Oomen (Netherlands) 0:01:21
15 Nairo Quintana (Colombia)
16 Peter Kennaugh (Great Britain)
17 Jan Hirt (Czech Republic)
18 George Bennett (New Zealand)
19 Jack Haig (Australia)
20 Jakob Fuglsang (Denmark)
21 Domenico Pozzovivo (Italy)
22 Andrey Zeits (Kazakhstan)
23 Ben Hermans (Belgium) 0:01:32
24 Simon Geschke (Germany) 0:01:54
25 Sergei Chernetski (Russian Federation) 0:02:00
26 Mathias Frank (Switzerland) 0:02:10
27 Steven Kruijswijk (Netherlands)
28 Antwan Tolhoek (Netherlands)
29 Dylan Teuns (Belgium)
30 Odd Christian Eiking (Norway) 0:02:42
31 Rudy Molard (France)
32 Sébastien Reichenbach (Switzerland)
33 Rigoberto Uran (Colombia) 0:02:57
34 Primož Roglic (Slovenia) 0:04:00
35 Rafal Majka (Poland)
36 Alexey Lutsenko (Kazakhstan)
37 Adam Yates (Great Britain)
38 Wilco Kelderman (Netherlands)
39 Nelson Oliveira (Portugal) 0:05:00
40 Alessandro De Marchi (Italy) 0:05:05
41 Merhawi Kudus (Eritrea) 0:05:44
42 Xandro Meurisse (Belgium)
43 Vegard Stake Laengen (Norway)
44 David De La Cruz Melgarejo (Spain) 0:05:56
45 Michael Gogl (Austria)
46 Emanuel Buchmann (Germany)
47 Pavel Sivakov (Russian Federation) 0:06:00
48 Sergio Luis Henao Montoya (Colombia) 0:06:02
49 Vincenzo Nibali (Italy)
50 Greg Van Avermaet (Belgium) 0:08:08
51 Pavel Kochetkov (Russian Federation)
52 Kasper Asgreen (Denmark) 0:10:22
53 Franco Pellizotti (Italy) 0:10:33
54 Carl Fredrik Hagen (Norway) 0:12:24
55 Emil Nygaard Vinjebo (Denmark) 0:12:57
56 Lukasz Owsian (Poland) 0:13:05
57 Ilnur Zakarin (Russian Federation)
58 Tony Gallopin (France)
59 Patrick Konrad (Austria)
60 Steve Morabito (Switzerland)
61 Jesus Herrada (Spain) 0:13:09
62 Toms Skujins (Latvia) 0:13:13
63 Brent Bookwalter (United States Of America) 0:14:23
64 Damiano Caruso (Italy)
65 Dario Cataldo (Italy)
66 Hugh John Carthy (Great Britain)
67 Nicolas Roche (Ireland)
68 Tim Wellens (Belgium)
69 Pieter Weening (Netherlands)
70 Rob Power (Australia)
71 Richard Carapaz (Ecuador) 0:14:48
72 Benjamin King (United States Of America) 0:15:57
73 Eduardo Sepulveda (Argentina) 0:16:51
74 Nico Denz (Germany) 0:18:17
75 Gianluca Brambilla (Italy) 0:19:35
76 Robert Britton (Canada) 0:19:37

 

3 comentários a “Valverde, Valverde… a glória aos 38 anos – Rui Costa notável no seu 10º lugar”

  1. Independentemente da questão da doença o Tiago neste momento é um corredor ultrapassado, que na minha opinião geriu mal o inicio de carreira por querer estar sempre bem em todas as provas durante todo o ano e isso acabou por o levar a ser um excelente gregário. Quanto a mundiais o Tiago já teve várias oportunidades , penso que sem nunca apresentar um resultado digno de registo e não por ter que trabalhar arduamente para um líder… já estava mais que na altura de dar oportunidade a outros ciclistas portugueses , Domingos Gonçalves merecia mais que ninguém este mundial de estrada, o eterno argumento de correr numa equipa portuguesa não pode continuar a prevalecer a tudo o resto…

  2. O Tiago Machado começou o ano com uma doença grave, acho que chegou a estar internado… E para uns brilharem…outros têm de ajudar…

  3. Péssima participação mais uma vez do Tiago Machado, ano após ano nunca conseguiu fazer nada em mundiais, bem como o resto do ano. De ano para ao está pior, acho que o seu melhor ano foi quando foi para o estrangeiro e quando corria no Boavista. Parabéns ao Rui, é sem dúvida um corredor da elite e ao Nelson porque antes víamos o CR pela TV r agora temos constantemente um português na Frente.

Os comentários estão fechados.