A tripla italiana e os Mundiais na Áustria

Durante a longa história dos mundiais de ciclismo de estrada, em mais de oitenta edições, apenas por uma vez os nacionais de um país ocuparam todos os lugares do pódio.

O feito, protagonizado pela Itália, teve lugar em 1927, logo no primeiro campeonato do mundo, para não mais suceder.

Numa prova ainda dividida entre profissionais e amadores, na corrida profissional, a que contou para a atribuição do primeiro título mundial oficial, consagrou-se Alfredo Binda como o primeiro campeão do mundo de ciclismo. Às voltas pelo circuito de Nurburgring, na Alemanha, Binda, deixou outro importante nome do ciclismo italiano, Constante Girardengo a mais de sete minutos, e Domenico Piemontesi a quase onze minutos. Uma tripla italiana, até hoje, não repetida.

Os mundiais de ciclismo de estrada estão pela terceira vez por terras austríacas. Em 1987, em Villach, a vitória sorriu ao irlandês Stephen Roche. Já em 2006, em Salzburgo, o italiano Paolo Bettini, alcançou o primeiro dos seus dois títulos mundiais.

Nesta estatística dos campeonatos austríacos, para além de já terem sorrido a italianos duas medalhas, uma de ouro (Bettini) e outra de prata (Moreno Argentin), o denominador comum é um espanhol ficar em terceiro, sendo que, Alejandro Valverde foi medalha de bronze em 2006…
Luís Gonçalves