O português voador

Quando o pelotão de Cadetes se prepara para mais uma homenagem a Alves Barbosa, com a disputa do tradicional Prémio de duas etapas com o seu nome, na zona de Montemor-o-Velho, esta figura do desporto nacional, aproveitando o balanço dado pela Vuelta, também não passa ao lado da prova espanhola.

Se no Tour foi o primeiro de todos, com três participações, foi também um dos primeiros portugueses a participar na Vuelta, onde, em 1957, na sua primeira participação, foi 17º classificado.

Mas se nessa Vuelta, Alves Barbosa até seria a figura de cartaz do contingente português, que contou com dez ciclistas, foi Ribeiro da Silva, o melhor classificado, na quarta posição.

Alcunhado de “o português voador”, por um cronista do prestigiado jornal francês L’Équipe, aquando da sua participação no Tour, onde ocupou um lugar nos vinte e cinco primeiros, Ribeiro da Silva é, por vezes, a figura mais injustamente esquecida do ciclismo português.

A sua curta carreira, brutalmente interrompida, como a sua curta vida, por um acidente de motorizada, talvez explique esta incidência. Mas numa tão curta carreira, serão poucos os que se podem orgulhar de tão grande palmarés, nomeadamente duas Voltas a Portugal e promissoras participações em grandes voltas.

Nunca saberemos o que reservaria o futuro ciclístico a Ribeiro da Silva mas sabemos que, provavelmente durante muitos anos, continuará a ser o segundo melhor classificado português em grandes voltas, apenas ultrapassado pelos pódios de Agostinho no Tour e também na Vuelta.
Luís Gonçalves

1 comentário a “O português voador”

  1. Prezado Luís Gonçalves,os meus agradecimentos,por dizer uma grande verdade O português voador foi do ACADÊMICO,parece que não é preciso dizer mais nada. Admiro muito e leio quais sempre os seus comentários.Obrigado,AQUELE ABRAÇO

Os comentários estão fechados.