Alarcon sem oposição- David Rodrigues o herói do dia

Se a expetativa era grande em relação a esta etapa, a mais difícil da Volta, no final, essas mesmas expetativas saíram goradas. A etapa valeu mesmo pela abnegação e estoicismo de David Rodrigues, que rolou cerca de 65 kms na frente da corrida, e perdeu com a meta à vista, a escassos duzentos metros do Alto da Senhora da Graça.

No final, a “equipa mista FC Porto-Sporting”, – atenção a ideia não é nossa, vem espelhada no facebook de alguém, acabaria por dar o triunfo a Raul Alarcon. Quem esperava que o Sporting viesse para o ataque bem esperou sentado. Aliás, a equipa leonina acabaria por deitar tudo a perder: Joni Brandão não se mexeu; acabou por perder o Prémio da Montanha e, por equipas o seu lugar está mesmo em perigo.

A equipa do FC Porto comandou a etapa, desde Felgueiras a Mondim de Basto a seu bel prazer, deixou fugir um grupo de 7 ciclistas, que controlou à distância, não permitindo mais de 4 minutos de avanço. Para os azuis e brancos foi fácil demais, para o Sporting foi exatamente o contrário. Nocentini foi uma sombra de si mesmo ao longo da Volta. O italiano dá mesmo a ideia de ter alinhado desinteressado, depois de quase três meses de ausência do pelotão e das corridas nacionais. Marque abriu cedo demais e Figueiredo não é um homem de ataque. Quando o Sporting apareceu a imprimir um passo ligeiramente mais forte em Campanhó, a primeira das três contagens de 1ª do dia, esperava-se a saída de Joni Brandão, mas este remeteu-se na expetativa, muito cauteloso.

Na segunda contagem idem aspas, Joni não atacou e esperou para a Senhora da Graça, onde Alarcon com o seu poder não lhe daria qualquer hipótese.

Na frente, David Rodrigues soube esperar pelo seu momento, atacou no momento certo, na parte final da primeira subida e aguentou até 200 metros do fim. Foi uma boa corrida do ciclista da RP-Boavista, que entrou numa fuga sem olhar para trás, quando o fez, a duzentos metros da meta e viu o sol espelhado na camisola de Alarcon, deve ter sentido um calafrio. Já lá diz o ditado, por um segundo se ganha, por um se perde, o que parece ter sido o caso de hoje.

O lote dos maiores desta Volta lá esteve a cortar a meta, pingados mas separados por poucos segundos. Agora nada a fazer. A Volta começou com muito calor, no Alentejo passou por todo o país e terminou num ápice. Amanhã  é só um pequeno arranjo para a composição dos dez primeiros.

Classificação: