Calor aproximou portugueses do ciclismo

A enorme vaga de calor que se fez sentir nas quatro primeiras etapas da Volta teve o condão de aproximar ainda mais a modalidade ao povo português. Ao enorme sacrifício que foi pedido aos ciclistas, os portugueses corresponderam com banhos de multidão nas povoações, com centenas de populares a puxarem das mangueiras para aliviarem um pouco o calor tórrido que os ciclistas acumulavam no corpo.

Depois foram também os bombeiros . Em todas as povoações onde a prova passou, em especial no Alentejo, as corporações dos homens que nos acodem nos momentos de infortúnio apareceram com os seus auto tanques a refrescarem os ciclistas, mas também os homens da GNR, também eles muito sacrificados nestas etapa : Volta s.

Não diríamos que foi uma reconciliação do povo português com o ciclismo, diremos que houve uma maior aproximação, e uma maior admiração pelo esforço abnegado dos ciclistas. Uma aproximação continuado com o exemplo, único, de Rui Vinhas que depois de uma queda violente, decidiu continuar em prova, mostrando o quanto de estoicismo, garra e querer são portadores os nossos ciclistas.

Fotos: Volta a Portugal -podium