Alarcon mais forte que Brandão, no duelo das Penhas da Saúde

Raul Alarcon mostrou hoje, na subida para as Penhas da Saúde que é o homem mais forte desta Volta a Portugal, contudo, atenção que a Volta ainda não terminou, faltam muitos dias, e o coletivo portista abanou um pouco, na tirada de hoje, onde João Rodrigues foi o homem mais forte da esquadrão azul e branco.

Joni Brandão fez o que tinha a fazer, atacou no momento certo, chegou a ter quase 40 segundos de avanço, pensava-se que a etapa já estava ganha, mas o sportinguista não estará tão forte quanto se esperaria. Teve a seu lado um super equipa, que se desfez serra acima, apenas Frederico Figueiredo conseguiu chegar no grupo da frente. Uma coisa é certa, contra a força não há resistência e por isso, o que se pode dizer é que Brandão tentou, ficou com a consciência tranquila.

O resto um grupo de ciclistas muito equilibrado, João Benta, Vicente Mateo, Edgar Pinto e Errazquin, , a que se seguiu um novo conjunto encabeçado por Henrique Casimiro, Domingos Gonçalves, Alejandro Marque e a surpresa do dia, Luis Fernandes.

A etapa valeu pelos últimos 14 kms, muito naturalmente. O pelotão entrou praticamente compacto na Covilhã, apenas dois ciclistas resistiram à longa fuga de 11 elementos. Depois foi pedalar serra acima, e quem teve pernas foi com os da frente. Alguns ficaram-se pelas intenções, e uma das desilusões do dia terá sido António Carvalho, por exemplo.

Com a anulação da passagem pela Torre, a etapa ficou mais leve, e registaram-se apenas duas desistências e ninguém chegou fora do controlo. César Martingil sofreu muito, com uma lesão no pulso, mas não conseguiu aguentar e acabou por desistir.

Classificação:

+