Festa das Bicicletas/”14 Horas a Pedalar em Pombal”- Rumo a Tóquio


O cicloturismo, é uma modalidade que se pode praticar de diversas formas, onde o andar de bicicleta, é a parte fundamental da sua pratica, e muitas são as maneiras de o fazer.

Habituados aos tradicionais passeios domingueiros, que se realizam semanalmente ao longo do ano, Pombal além do seu passeio que leva para a estrada anualmente, realiza um evento que se destaca dos tradicionais passeios, o mesmo é denominado de “14 Horas a Pedalar em Pombal”, a Festa das Bicicletas.

É um evento único no país, e este ano, realizou a sua 17ª edição, com a organização do Clube de Cicloturismo de Pombal, este ano em parceria com a Câmara Municipal e Junta de Freguesia local, o qual estava inserido no calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicletas (FPCUB).

Durante dois dias, Pombal foi invadida pelas bicicletas, em mais uma edição das “14 Horas a Pedalar”, ao longo das suas 17 edições, muitas das vezes as pedaladas reverteram para causas nobres, umas vezes a favor dos bombeiros, o ano passado por exemplo a favor das vitimas dos incêndios, este ano a ajuda a um Pombalense.

Sob o lema “Rumo a Tóquio”, a receita líquida do evento vai reverter a favor do atleta Carlos Leitão,  heptacampeão de Ténis, em Cadeira de Rodas, e tem como objetivo participar nos Jogos Paraolímpicos de Tóquio em 2020.

E por esta causa, o Clube de Cicloturismo de Pombal mais uma vez sensibilizado, juntou o útil ao agradável, juntando assim a bicicleta à solidariedade, a receita reverterá a favor desta causa, deste grande campeão Pombalense.

Carlos Leitão com 48 anos de idade, sofreu um acidente quando tinha 24 anos, ao treinar futsal, a bola foi para o teto falso, e quando foi retirar a mesma, caiu, e teve a infelicidade de ficar paraplégico, apesar de sempre ter gostado de ténis, nunca tinha jogado antes, foi incentivado, e hoje é um grande campeão.

Olhando o evento, momento a momento:

O evento iniciou-se no sábado dia 21, bem cedo começaram a chegar os participantes para iniciar os preparativos, nove equipas fizeram parte desta iniciativa, que juntou mais de duas centenas e meia de participantes, de salientar e como dizem os regulamentos, cada equipa teria de ter o mínimo de 12 ciclistas, mas muitas superaram quase a meia centena.

Pelas 22 horas, e depois de apresentados os participantes, era dado início ao evento, depois de percorrerem o circuito fechado, com um perímetro de 400 metros, na Av. Heróis do Ultramar, entre a Rua dos Bombeiros Voluntários e o Viaduto sob a Alameda Europa, o pelotão saiu do mesmo, e percorreu a cidade de Pombal, fazendo a apresentação da Festa da Bicicletas”.

Após a saída do pelotão foi momento alto, com a AcroPombal fazer uma demostração de Ginástica Acrobática. Depois foi novamente a entrada dos participantes os mesmos aplaudidos pelo público presente, iniciando-se assim a grande maratona a pedalar.

A partir desse momento, existiu animação por um DJ, animação com os Acordeonistas do Marques, que ajudaram a vender rifas para um sorteio de um presunto, pelos standes dos participantes, e às 2 da manhã foi servido o tradicional caldo verde, a noite foi longa, algum frio, este o inimigo dos ciclistas, mas a animação decorreu ao longo da noite, e as desistências não foram muitas.

Logo pela manhã, foi tempo de uma bebida energética, e pelas 10 horas o tradicional passeio domingueiro, os participantes saíram novamente do circuito, percorreram as ruas da cidade, dando assim os bons dias a toda a população.

De regresso ao circuito pouco passava das 11 horas, foi tempo de animar mais uma vez o recinto, pedalando, pedalando, com alguns cansaço, mas sempre com um grande sorriso nos lábios, o qual durou até às 12 horas de domingo 22, onde foi feito o encerramento de mais umas “14 Horas a Pedalar”, antes disso ainda existiu o momento de escolher a melhor pasteleira, e a bicicleta mais original.

Aqui, e com a presença do Presidente da Câmara Municipal Luís Mateus, e do Presidente da Junta de Freguesia Pedro Santos, foram feitas alusões ao evento, à importância do mesmo para a cidade, e o agradecimento a todos que marcaram presença, onde foram distribuídas lembranças a todos os presentes, onde mais uma vez, Carlos Vieira, o celebre Bombeiro Ciclista, o recordista mundial do Guinness, marcou presença, ele que recentemente percorreu do Canadá ao México durante um mês a pedalar pela paz, o ano passado marcou presença em Pombal, em solidariedade com as vítimas dos incêndios.

Este ano por mais uma causa, a do Carlos Leitão, ele foi galardoado mais uma vez pela sua disponibilidade, pela sua generosidade, por ter apoiado mais uma causa, ele que quase dormia em cima da bicicleta, confessou-nos que o mais difícil foi durante a noite, o frio que se fazia sentir, mas não desistiu, fez um reforço de roupa, e pedalou, pedalou até ao fim.

Acompanhamos as pedaladas ao longo da noite e pela manhã, num dos momentos e em conversa com o Presidente da Autarquia, o mesmo mostrou muito interesse neste evento, e até sugeriu a ideia de em 2019, naquele local erguer um marco a homenagear as “14 Horas a Pedalar”, são 17 anos de grandes eventos, a cidade merece, o evento também, e não pode ficar no esquecimento, e mesmo que um dia o mesmo termine, existirá sempre algo naquele local a referenciar este tão importante evento, a Festa das Bicicletas.

É uma ideia sem dúvida muito interessante, e aquele pode até ser um local para a realizações de futuros eventos desportivos e muito importantes, essa também a ideia de Armando Vieira, o presidente do Clube de Cicloturismo de Pombal, que no final em palavras à nossa reportagem, dizia.
Terminou mais uma edição, neste momento o cansaço é imenso, mas a satisfação de missão cumprida supera tudo. Tudo correu bem, não existiram acidentes o que é positivo, as pessoas colaboraram, e todos saíram daqui satisfeitos. Continuar, iremos ver, o cansaço é imenso, e deverá haver outras pessoas a assumirem o cargo, apesar de haver vontade de continuar em 2019, vamos pensar, as dificuldades começam a ser imensas, e como em muitos, este tipo de eventos apenas vão continuando porque uns carolas, tem força de vontade.
Tudo fica em aberto, vamos pensar, mas gostava que este espaço onde as “14 Horas” se realizam, pudesse ser um espaço desportivo, um espaço muito especial, já que se passou aqui sem dúvida momentos muito especiais, vamos assim aguardar, deixando um agradecimentos a todos que marcaram presença, e que nos apoiaram na Festa das Bicicletas”.

E esta foi a verdadeira festa, muita animação, muita pedalada, muito convívio, único em Portugal, os participantes saíram com muita animação, e muita vontade de voltar em 2019, mas isso agora só o tempo o dirá, da nossa parte um agradecimento especial como mais uma vez nos receberam, e pelas condições que nos deram parta podermos trabalhar, obrigado, ficam os votos de bons passeios, boas pedaladas, e até sempre, marcando presença em 20189, caso a 18ª edição volte à estrada.
Texto e fotos – José Morais

Pode visualizar mais fotos em:
https://photos.google.com/share/AF1QipOQdhiWUvrlBnnb4j_GFpS7BtJAvr_dk23QJY-0tgL9ujgb6HJBy3xOZ1BeTadieQ?key=ajNqUGdzU3RQalZyNVo3VjhPa21BaFpHemViTkt3